27/01/2013

Não importa onde nem como!





Se todas as pessoas pensassem assim, havia muito menos famílias separadas!



Entristece-me ver o egoísmo que prevalece nas pessoas, afectando as relações de tal forma que as leva a deitar projectos de vida pela janela.
De que importa o Nós se o Eu está acima...
Enquanto as pessoas não souberem construir uma família por aquilo que ela vale e representa e enquanto as pessoas não souberem o verdadeiro significado de família, continuarão a haver muito mais famílias separadas.

Só não consigo entender se isso são sinais dos tempos modernos, ou se voltámos ao tempo das cavernas...


****

5 comentários:

Anónimo disse...

nunca seria feliz separada da minha familia mas é a tal coisa , ha pessoas q amam mais a posiçao social, as futilidades etc e dizem-se felizes.. se eu acredito?? não acredito mesmo... e tenho pena tb

rita.cestmavie disse...

:(

Marisa Luna disse...

Boa noite!
Eu acho que estamos numa fase muito descartável. As pessoas desistem muito facilmente de tudo e, tristemente, da família, dos casamentos, também...
Eu acredito na família!
Beijocas

Anónimo disse...

E eu que pensei que era divorciada... Enganei-me!

Maria da Luz disse...

bolas, você tem gente muito pouco amiga na blogosfera!
Eu fico atónita com alguns comentários que lhe fazem..
concordo plenamente.
O Eu sobrepõe-se cada vez mais ao Nós.
Sinais dos tempos, tempos esses que estão cada vez mais dificeis.
Tenho esperança que a crise traga uma reavaliação dos princípios e valores que estavam tanto na base da união.
No fundo, vamos todos ter menos e temos por isso que saber aproveitar o mais que as pessoas são.
Ser em vez de Ter.
Em crises nascem mais bebés, as famílias viram-se mais para dentro, marido e mulher encontram-se mais.
Eu vou fazer por isso, pelo menos.
Tentemos todos também...
ps: olhe, eu gosto muito do seu blog. Faz-me confusão a parte de tratar a criançada por você e tal, mas cada qual é como é, por isso, parabéns pelo blog!