18/09/2016

Amormenta quê???

Descobri (infelizmente!) que existe um conceito chamado Amormentação. Chamem-lhe lifestyle se quiserem que fica mais trendy........... 
E do que se trata este conceito-ideologia-cena-marada, perguntam vocês? Trata-se de pôr criancinhas (algumas com 3 e 4 anos) a mamar nas mimicas das avós, tias primas, madrinhas, etc. Hum... Baralhadas? Pois! Diz que é para dar mimo! AMOR-mentação! (Eu acho que devia era chamar-se ataque-psicológico-mentação)

Ora bem, a amamentação deveria ser uma coisa exclusiva da mãe, certo? É aliás esse conceito de exclusividade que nos faz sentir tão especiais quando os nossos filhos nascem. Eventualmente de uma ama de leite (nem sei se isso ainda existe) no caso da mãe não poder fazê-lo. No entanto, muitas mães recorrem a bancos de leite e dão o leite materno de outras mães,  imagine-se, dentro de biberons. 

Qual o objectivo da amamentação, perguntam vocês outra vez? Parece-me que se trata de uma forma saudável e bonita de alimentar uma criança pequena. De estimular o vínculo entre a mãe e o bebé. De ajudar o bebé a ganhar defesas e imunidades. De lhe dar um momento de mimo, amor e proximidade que vai proporcionar-lhe segurança e a longo prazo auto-estima, resiliência, etc. (se bem que há milhões de outras formas de o fazer)
Até aqui estamos todos de acordo, certo? 



Agora se há mães que amamentam e outras que não, se há mães que o fazem em público e outras preferem em privado, se há mães que amamentam uma semana e outras até ao ano e meio, isso já é inteiramente a ver com elas e mais ninguém. 

Mas sobre este tema de amor e amamentação, eu gostava de perceber porque raio enfiam a mamona flácida e carcomida da avózinha na boca da criança!! 

Estes exemplares do filme "Doidos por Mary" deixaram-me traumatizada para todo o sempre! E não tive de levar com elas na boca! 

Dizem que é para dar mimo???? Segundo me parece, o mimo das avós está no colo, nos abraços, nos doces às escondidas das mães, na colher extra de arroz para não ficarem com fome. O mimo da avó não é enfiar uma boob na boca de uma criança que, aos 4 anos, vai ficar com essa memória para sempre e, provavelmente, ter pesadelos até à idade da reforma!!! 

Segunda hipótese, é para acalmar a criança na ausência da mãe? Para a adormecer? Acreditem! Se uma criança de 3 ou 4 anos não consegue acalmar-se na ausência da mãe, ou adormecer tranquila ao colo de uma avó ou de uma tia com quem supostamente tem uma relação de confiança, então temos aqui um problema! E é de certeza da mãe!  Que primeiro não lhe passa confiança nem segurança e depois ainda a obrigada a levar com um mamilo pré-histórico e sem leite goela abaixo. 

Se antigamente o pudor era demasiado, hoje em dia, levamos com o extremo oposto de que tudo se pode, tudo é possível. Tudo é natural. Estas mães estão concerteza desejosas de poder amamentar (a seco) os seus netinhos, vizinhos e sobrinhos-netos. Tudo em prole do Amor! 

(Pronto! Agora resta-me levar com os ataques extremistas...) 

19 comentários:

da cidade pro campo disse...

Cortem-me os pulsos!!! Por amor da Santa!!! Anda tudo a fumar cenas maradas...
Beijooooo.

Ana Nascimento disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paula Moreira disse...

Sra infiltrada, antes do antigamente que refere no seu texto, houve um antigamente mais longínquo em que aquilo que aqui condena era natural. Tal como a amamentação de uma forma geral, o conselho é o mesmo, não gosta tem bom remédio, não olhe. E já agora, não gosta, saia do grupo, pois com este tipo de atitude, não faz lá falta nenhuma! Quanto a traumatismos, se calhar o seu trauma não se prende com mamocas ressequidas, já que na dita foto, não se vê mamocas nenhumas...O que as pessoas hoje em dia fazem para "aparecer" e ter visualizações...sinceramente , falta de ética!!!!

Lucia Costa disse...

Quando alguem discorda de si é sempre chamada de extremista ou só o é quando o assunto é amamentação ou amormentação? É que eu discordo de si. Se um bebé mama muito bem das tetas ( descaídas ou não) da avó , isso é la com a tripla avó/mae/ criança. E pelos vistos essa pratica é bastante comum em sociedades mais " primitivas".

Carla Marques disse...

Nunca tinha ouvido falar de tal coisa mas não me faz confusão. :) Lá está, somos todos diferentes e, desde que não prejudiquemos o próximo, somos livres de fazer como entendermos em relação à maior parte dos assuntos. Também somos livres de opinar respeitosamente. :P
Posto isto eu não gostaria de ver as minhas filhas a mamar em outras mamas que não fossem as minhas mas, lá está, é uma coisa muito pessoal. Se outras mães aceitam e até acham bem, força. (Quase) Tudo o que deixar mais pessoas felizes.:D

Eloisa disse...

Que eu saiba, uma criança de 3 ou 4 anos não permite que lhe enfiem coisas "goela a baixo" sem o seu consentimento (A não ser com violência, o que não me parece que tenha acontecido), pelo que, se a criança em questão o permitiu, é porque não se importou com isso e portanto não vai obviamente ficar traumatizada para o resto da vida! :) Penso que são casos que não dizem respeito a mais ninguém a não ser os intervenientes!

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

Mas alguma criança quer enfiar a mama da avo na boca??? Isso chama-se confiança! Se der um copo de lixívia ao seu filho a beber, ele bebe! Sabe porque? Porque confia em si. Não quer dizer que esteja a fazer o coisa boa por ele.

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

O seu comentário disse tudo! "Sociedades mais primitivas"!!!
Antigamente também havia escravos, queimavam-se mulheres nas fogueiras, não havia vacinas... Felizmente o Mundo evoluiu!

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

Ahahahahahaha adoro a vossa insistência com o grupo!!! Grupo que desconheço a existência, o nome ou os seus membros. Acho um perigo haver grupos na internet que fomentem este tipo de comportamentos.... Garanto-lhe que se lá estivesse, já tinha saído por livre e espontânea vontade.

Sónia Ribeiro disse...

Faz-me imensa confusão! A insistência na amamentação só porque sim, mesmo quando a criança já mostra sinais de um desmame natural, a mãe insiste... Penso que por ela própria, não pela criança (com as devidas exceções, claro) O mundo da amamentação é muito extremista, com grupos e cenas maradas, como avós sem leite a amamentarem só porque sim! Estou consigo Kika ��

Sara Guelha disse...

E Freud dá voltas ao tumulo....
Confesso que o post me fez confusão, mais ainda porque tenho uma filha com 4 anos e só a imagem dela a mamar na mama da avó me dá nauseas. Mas não me chicoteiem por isso.

Unknown disse...

Escreve-se "com certeza"... mais um reflexo de ignorância além de outros reflectidos no seu texto escrito num tom muito infeliz que impossibilita que a levem a sério.

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

Não se preocupe cara anónima, também não a estou a levar a sério concerteza absoluta!

Anónimo disse...

Desculpa lá mas isso é falso, eu lembro-me de fazeres parte do grupo.

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

Ahhhhhhhh!!!! Isto está cada vez melhor!!! Ahahahah "Lembro-me de fazeres parte do grupo" foi o melhor comentário. Adorava fumar o mesmo, juro que gostava!!!

Eloisa disse...

se fosse assim, ninguém tinha problemas com crianças que não querem comer..

Anónimo disse...

Ui ca nojo pá!!! Há cada mente mais perversa, bem feita levarem com uma dentada na mamoca. Força miúdos: mama na boca só da mãe, tudo o resto é corrido à dentada.

Anónimo disse...

Creepy! TB considero que insistir na amamentação até tare é uma consequência de dependência mais da mãe do que da criança. É normal nos países onde as crianças passam fome, se for preciso amamenta-se até aos 10!!! Em Portugal pelamordedeus.

Daniela disse...

Não sou psicóloga mas sou médica e isto não me faz sentido nenhum. Sou defensora da amamentação desde que a mãe queira dar de mamar, e acho que se deve ter a liberdade para amamentar em qualquer sítio, público ou não, e que tal deve ser considerado natural.
O que descreve não me parece de modo algum salutar. Não sou psicóloga mas desaconselharia essa pratica a qualquer pessoa. E acredito que traga traumas à criança SIM. Já agora, o pai, o Avô, o tio, o padrinho? Também vão disponibilizar os seus mamilos? Onde traçamos a linha entre o amor e o abuso? Onde para (ou onde nos para) o bom senso?
Para terminar posso dizer que estou neste momento a amamentar a minha filha, que tem quase dois anos, portanto ninguém diga que não defendo a amamentação.
Uma coisa é por exemplo duas amigas serem mães ao mesmo tempo é uma dar de mamar ao bebé da outra e vice versa numa situação de necessidade. Agora isto, é perverso.