26/05/2017

As Educadoras sofrem com os fins...

São 25 filhos que vejo partir. 
São 25 filhos de outras pessoas que fizeram parte dos meus dias nos últimos 3 anos. Passaram mais tempo comigo do que os meus próprios filhos. Passaram mais tempo comigo do que com os próprios pais. 



Aprendi tanto com eles como eles aprenderam comigo. Cresci enquanto pessoa a vê-los crescer. E enquanto educadora também. Tanto!!!

Conheço cada um individualmente pelo cheiro, pelo formato das mãos, pelo traço do desenho, pelo compasso da marcha. 

Juntos rimos, cantámos, chorámos, gritámos. Umas vezes de felicidade, outras vezes de fúria. Fizemos silêncios de amor, silêncios de cansaço, silêncios de fé, silêncios de birra, silêncios de cumplicidade. 

Vi-os largar as chupetas, largar as fraldas, largar os ó-ós e largar as inseguranças. 

Vi-os a superar os medos, as dificuldades e as conquistas. Uma por uma! Algumas fáceis, outras difíceis. Vi-lhes as gotas de sangue e de suor. Vi-lhes os sorrisos e ouvi-lhes as gargalhadas. Vi-os conquistar o Mundo deles. E muitas foram as vezes em que fechei os olhos para não ver.  Porque sabia que estavam a crescer, a aprender e que em algumas alturas tinham de o fazer sozinhos. 

Curei-lhes feridas físicas e feridas do coração. E eles, fizeram o mesmo comigo. Muitos abraços que lhes dei, eram abraços que roubava para mim. 

Está quase a acabar... Eu com eles... E eles estão quase a começar! São 25 filhos que vejo voar do meu ninho e que espero tanto quanto aos meus filhos que sejam felizes e que conquistem o Mundo! 

E que um dia, quando pensarem na Educadora deles, se lembrem de todas as vezes que lhes disse que os adorava e de todas as vezes que tentei fazê-los felizes. 

Adoro-vos!!!


19 comentários:

Este Blogue precisa de um nome disse...

Estou a chorar... obrigada pela partilha. Não vão esquecer, não: a minha filha com 16 anos ainda se lembra. Um beijo :-)

Regina disse...

Como compreendo estas palavras e todos estes sentimentos...cada um que passa por nós não vai só,deixa um pouco de si e leva um pouco de nós.��

Regina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Saudades de ser educadora

Joana Martins disse...

Lindas palavras...

Joana Martins disse...

Lindas palavras...

Anónimo disse...

Fiquei aqui com a lágrima no canto do olho.
A minha única lembrança da minha educadora, e já lá vão uns aninhos, é de ela me fazer comer o meu vomitado a hora do almoço.

Anónimo disse...

É muito dicil ser um bom Profissional aos 60Anos .Amem

Anónimo disse...


Tenho pouco para dizer a não ser que sou muito exigente com o que se escreve e como se escreve. Estão bem cumpridos os dois mas o mais importante é que aqui há mesmo dedicação e amor. Está de parabéns por conseguir com a sua encantadora profissão sentir-se feliz e fazê-los felizes. Mas vão chegar mais meninos/as de chupeta e fralda a precisarem de si. Bem haja

Anónimo disse...

Como mãe compreendo cada palavra... Já chorei "baba e ranho" por as minhas filhas terem de mudar de educadora... Afinal vocês educadoras são as mães de delas (crianças) enquanto nós exercemos a nossa profissão!!

Clube de Artes disse...

Também tenho filhos desses. Mais de 100 por ano. Compreendo tão bem esse sentimento. Mas a intensidade com q uma educadora sente a partida dos seus meninos é de certeza muito superior. Salvo o caso das que fazem os meninos comer o próprio vomitado!Essas nem têm direito ao título que usam!

Anónimo disse...

Sou educadora e estou chocada! Isso é inadmissível!

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

Que revolta no estômago.... como é possível....
:(((

Gisela disse...

Lindo, lindo, lindo este texto! Identificado-me bastante, adaptando à realidade do 1º Ciclo. As professoras também sofrem com os fins...😊

Anónimo disse...

Com o passar dos anos muita coisa mudou nós Colegios, algumas para melhor é claro, mas a única que eu tenho mesmo pena é a de interação que havia entre a educadora e os pais que após tantas exigências por parte das instituições, fez com que o único contato que temos é nas reuniões. Lembro-me de ter o meu filho mais velho no colégio e cada vez que falava com a educadora sentia-me a viver cada momento como se eu lá estivesse. No entanto tenho que agradecer todo o trabalho CV feito pela educadora e auxiliar, que sempre me transmitiram uma tranquilidade e confiança enorme. Acredito que não seja fácil deixar voar os meninos, mas todas as emoções vividas no passado e as que serão vivias no presente fará com que se viva uma vida plena de satisfação pelo bem enorme que fizeram e fazem por esses meninos e pelos pais dele és. Um obrigado enorme e continuem a dar o vosso melhor.

rosarinho disse...

Parabéns por exprimir tão bem o que nos vai na alma em cada ano que os vemos abrir assas e voar :)

Anabela Vilela disse...

És uma otima Educadora conheço bem o teu trabalho e o carinho que dás aos teus meninos . Estes partem mas vêm outros que vais adorar igualmente .Parabéns continua sempre assim e eles nunca te esqueceram.

Vidas da Nossa Vida disse...

Tenho 3 filhos e a sorte de todos eles terem (o mais velho já foi para o 1º ano do ciclo) educadoras maravilhosas, que eu adoro e que eles adoram, que os conhecem, mimam... O mais velho na sexta não teve aulas por causa da greve e para onde foi ele? Para a escolinha dos manos ajudar a antiga educadora a tomar conta do berçário e a educadora do mano no jardim de infância. E tanto mimo que ele recebeu! É um colo que (quando é bom) fica para a vida. E os meus filhos têm sido afortunados. É um trabalho de coração!

Anónimo disse...

Lindas palavras uma educadora impecavel 12 de junho diz tudo obrigado .Professora Eduarda e D.Pilar nunca me vou esquecer adoraveis. E a mais uma pessoa que nunca me vou esquecer amoravel com os nossos filhos D.salete. Unicas que tem carrinho pelas crianças que eu conheci e que tiveram sempre ao lado da minha filha obrigado