08/05/2017

O teu filho e o meu cão. E os outros cães todos!

A maioria das crianças que têm medo de cães, não têm porque foram atacadas e por isso ficaram traumatizadas. Têm porque crescem a ouvir os adultos a dizer "não mexas no cão que o cão morde!". Pior... A criança mordeu o irmão e a mãe pergunta "és algum cãozinho?"

Eu também cresci a ouvir dizer que os leões comem pessoas. Se visse um à minha frente, era menina para fazer um cocó na cuequinha e a seguir trepar uma árvore a toda a velocidade. (O que não seria boa ideia, visto que os leões também trepam árvores. Pelo menos, é o que também sempre ouvi dizer.)



Uma coisa é ter medo, outra coisa é ter respeito! E o respeito é algo que temos de ter por tudo o que existe à nossa volta. Vivo ou não! As crianças devem respeitar os pais, os irmãos, os avós, os professores, as pessoas em geral, mas também devem respeitar os seus brinquedos e os seus livros, assim como os brinquedos dos outros e os livros dos outros. E também devem respeitar os amimais. Nomeadamente, os cães. 



E o que é respeitar os cães? 
É eles saberem (porque tu lhes ensinaste) que os cães não gostam que lhes puxem as orelhas! Tu também não gostas, pois não? E os cães não gostam que apareçam de repente por trás e lhes dêm uma sapa na nuca! Tu gostas? Os cães não gostam que as crianças se sentem em cima deles. Tu gostarias? 



Os meus filhos têm 3 cães. Nasceram com cães em casa. Têm todo o à-vontade do Mundo com cães. Se um monstro de 40kgs lhes saltar para lhes fazer uma grande festa e eles forem atirados ao chão, não se importam nada, até agradecem! No entanto... Sabem que os cães desconhecidos não são todos iguais. E por isso sabem que não podem abordar todos os cães da mesma forma. Isso não faz com que tenham medo de cães, apenas faz com que tenham respeito por eles e pelo seu espaço. 

Então, quando o teu filho vir o meu cão sentado numa esplanada e quiser vir fazer uma festinha, diz-lhe que pode vir! Mas primeiro pergunta-me se pode dar uma festinha ao cão. Isso faz com que eu lhe diga que pode fazer à vontade porque ele não faz mal, mas outro dono de outro cão, que sabe do que o seu cão é capaz, pode dizer "é melhor não porque ele não gosta de festas". 



Se o teu filho me perguntar se pode dar uma festinha ao meu cão, isso também vai fazer com que eu previna o cão que um humano que ele não conhece lhe vai tocar. E então eu poderei apresentá-los e pedir ao cão para se sentar e eles poderão interagir de forma saudável. De outra forma, o mais provável é o meu cão atirar-se para cima dele. E não o vai fazer por mal, apenas vai achar que o teu filho não se importa! Só que depois o teu filho vai cair de rabo no chão, vai assustar-se, vai chorar e tu vais achar que a culpa é do meu cão. E não é! Garanto-te! 



Por isso, ensina-lhe o seguinte:

- os cães não mordem! Podem morder! Mas não mordem. Quem morde são os crocodilos, os hipopótamos e os leões. 

- se quer abordar um cão na rua, primeiro pergunta ao dono. 

- se o dono autorizar, ele pode dar-lhe a mão a cheirar antes de lhe fazer uma festa. (Também não ias gostar que um desconhecido te afagasse o cabelo sem teres primeiro um grau de intimidade com ele, pois não? Para o cão, basta uma cheiradela na mão!)

- diz-lhe que o cão não é um boneco de borracha. Puxar as orelhas pode doer, ou no mínimo incomodar. Sentar-se em cima também não é boa ideia! Enfiar-lhe os dedos nos olhos também não é agradável. E dar calduços também não me parece de todo simpático. 

Se seguires estes passos, a criança não vai ter medo, o cão não vai assustar-se e tu vais estar a educar o teu filho de forma saudável. E os donos dos cães nas esplanadas também vão agradecer! 




*Imagens retiradas da internet

2 comentários:

Celia Lopes disse...

É tão, mas tão isso!

Liliana disse...

É mesmo mesmo isto!