02/04/2018

15 coisas do dia-a-dia que não matam mas moem!

Pessoas que ficam horas paradas à frente das prateleiras do supermercado enquanto tu queres tirar alguma coisa. Não mata! Mas mói!

Filhos a fazerem um monte de perguntas enquanto estás concentradíssima a fazer alguma coisa. Não mata! Mas mói!

Olhar para o recibo de ordenado e ver a quantidade de euros que deverias receber, mas são automaticamente enviados para os cofres do estado, sendo que nem sequer são bem utilizados. Não mata! Mas mói!

Quando estás cheio de pressa na estrada mas, os sinais ficam todos encarnados, ou aquela velhinha fofa decidiu sair de carro nesse instante ou os carros lavadores de ruas vão à tua frente. Não mata! Mas mói!

Explicar aos teus filhos, todos os dias, que não é suposto irem no carro a implicar um com o outro, mas, mesmo assim, teres de voltar a explicar todos os outros dias. Não mata! Mas mói!

Quando guardas aquele cantinho da torrada para o fim, mas, deixas cair o cantinho ao chão e o cão foi mais rápido que tu! Não mata! Mas mói!

Pôr roupa a secar porque está sol lá fora e logo depois começa a chover. Não mata! Mas mói!

Estar seis meses a planear umas férias e a história aparecer precisamente no primeiro dia. Não mata! Mas mói!

Perceber que sobrou um dinheiro ao fim do mês e esfregar as mãos de contente porque te apetece comprar qualquer coisa para ti mas, a máquina do cafe avaria e tu não consegues viver sem ela. Não mata! Mas mói!

Estar um mês à espera da festa dos 40 anos da tua amiga e fazer imensos planos de como a noite vai ser espectacular e em como aquele kit novo que ainda não estreaste vai sair do armário mas, rebenta-te um herpes na boca de tal tamanho que nenhum membro da população presente tem vontade de se aproximar de ti sequer para te cumprimentar. Não mata! Mas mói!

Sair de casa com o cabelo acabado de secar e estar nevoeiro cerrado e humidade a 99%. Não mata! Mas mói!

Entrar no carro, pôr o cinto, ligar o motor e só depois perceber que tens um papel preso no pára-brisas. Não mata! Mas mói!

Sair da esteticista com as unhas impecáveis e partir uma delas no fecho da mala do carro. Não mata! Mas mói!

Por três medidas de água a ferver no tacho e, quando começas a deitar as medidas de arroz, não te lembrares se já deitaste duas lá para dentro. Não mata! Mas mói!

Entalar o dedo à frente de alguém de quem não podemos soltar um foda-se com todas as letras! Não mata! Mas mói!


1 comentário:

Philipa Amaral disse...

As pessoas que acabam de usar o multibanco mas ficam a admirar o "papelinho" especados em frente a maquina.
moi me tantoo

E as pessoas nas filas que acham que serao atendidas mais rapido por estarem a menos de 5cm de diatancia doa pessoa da frente... 'deslarguem me!!!