01/07/2010

Carta a um Amigo...














- Carolina, a Guca está com o cio! Conheces alguém com um labrador que queira cruzar???

Passado meia hora, o casamento estava feito! Isto foi em 1996... Há 14 anos atrás...
Foi um tempo de ansiedade e expectativa! Enquanto esperava para ver os meus afilhados, preparava terreno em casa. - A Guca vai ter bebés! Podíamos ficar com um!
28 de Dezembro de 1996, 23h30, o telefone toca: Os bebés da Guca nasceram!
Fui vê-los passados dois dias! Os únicos 2 machos que nasceram de uma ninhada de 6 labradores pretos a dormir na palma da minha mão. Gemiam como recém-nascidos e ainda nem abriam os olhos. A Guca, cansada e meiga olhava para mim enquanto dava de mamar às manas deles.
Quando já estavam mais crescidos, escolhemos o que queríamos! Ou melhor, quem nos escolheu foi ele! Que veio aos saltinhos ter comigo e não me largou. Pusemos uma fita encarnada ao pescoço para o distinguir dos outros. Uma bela noite, o meu pai diz-me durante o jantar: - A Guca ainda tem bebés?...
Os meus olhos abriram e o meu sorriso quase dava a volta à cara. Eram quase 23h quando chegámos a casa com o novo elemento da família. Tinha um mês e meio e durante um mês dormiu no meu quarto para não se sentir sozinho. Tal qual uma mãe, acordava de noite para o pôr a fazer xixi no jardim e por incrível que pareça, aquele cão tosco e brincalhão só fez xixi no meu quarto uma vez!

Meu querido Mupi,

Foste o cão mais especial que alguma vez conheci! Tão amigo, brincalhão, dedicado e... ...HUMANO! Não falavas com palavras, mas nós sabíamos bem o que nos querias dizer só com o teu olhar e gestos.
Não se podia dizer a palavra RUA à tua frente ou tocar na trela porque desatavas aos saltos e não largavas a porta! Com a maior das latas, sempre que abria a porta do carro, sentavas-te no lugar do passageiro da frente e ficavas a olhar para mim com a língua de fora com o maior ar de sonso como se não fosse nada contigo!
Amavas a praia! Corrias pela areia fora e atrás das ondas, mas depois eras um medricas porque fugias delas a sete patas! Não se podia comer pão à tua frente! Não que atacasses o nosso lanche, mas porque te sentavas ao nosso lado com ar de desgraçado enquanto largavas um rio de baba no chão! O pai até fazia uma torrada ao pequeno almoço só para ti que devoravas em segundos! Primeiro uma metade e depois a segunda, para render!
Quando a Luísa nasceu, tive receio que tivesses ciúmes! Desculpa!... Foste sempre muito protector e deitavas-te sempre ao lado dela a dormir a sesta. Até ela começar a mexer-se e a sacrifitar-te! Com os dedos enfiados nos teus olhos e ouvidos ou a puxar-te as orelhas e a cauda! Ela ria-se às gargalhadas com os safanões de lhe davas com a cauda e tu fugias porque já não estavas nem aí...
Desculpa quando te enxotava por causa do teu bafo de honça! Desculpa quando gritei contigo porque davas um pum mortal e tu próprio fugias porque não podias com o teu cheiro! Desculpa quando te disse que eras chato porque vinhas atrás de mim para a casa de banho! Desculpa quando te empurrava porque tu fazias questão de te deitar em cima dos nossos pés em pleno Agosto!

Tu fazias tão parte da família que o pai queria treinar-te a levar as minhas alianças quando me casei! Fazias tão parte da família que não havia uma fotografia de família no Natal onde não estivesses! Fazias tão parte da família que há fotografias tuas espalhadas pela casa ao lado das nossas fotografias de bebé! Fazias tão parte da família que, volta e meia, em vez do teu nome, te chamávamos pai ou o nome dos meus irmãos!

Ontem, tivemos de tomar uma das decisões mais difíceis das nossas vidas... Tomar o lugar de Deus e ser prepotente ao ponto de achar que podemos decidir o destino de uma vida. Mas teve de ser... Foi por amor acredita e não está a ser nada fácil...

Obrigada por ter sido o nosso cão! Obrigada por teres sido o nosso amigo! Obrigada por nos teres escolhido!

****

6 comentários:

célia disse...

Um beijinho especial para vocês! No princípio deste ano também perdemos a nossa gata que nos acompanhava há 8 anos e foi muito difícil! A Margarida ainda hoje chega a casa e pergunta quando é que ela volta, que quer dar-lhe um miminho. Agora, é dar tempo ao tempo.

Rute disse...

Olá Linda,
sinto muito pelo Lupi. Fiquei com as lágrimas nos olhos ao ler o teu post, porque me fez lembrar do meu Kiko, pois em Outubro do ano passado tivemos de tomar a mesma decisão.
Resta-nos lembrar deles com um sorriso nos lábios e pensar que temos mais um ajinho no céu a olhar por nós e pelos nossos filhotes.

Sarah disse...

é com lagrimas nos olhos que escrevo esta mensagem ... também ontem tivemos uma notícia desagradável e triste. o meu lindo Sheike ao fim de 14 anos deixou-nos!!! :( foi o cão mais amigo e dedicado que tive. sempre fiel. o nosso também era um labrador e pretinho ...
mas sabes o que mais me revolta ... foi envenenado durante a noite no nosso jardim! :(
Não vou entrar em pormenores porque já me enervei o suficiente.
Apenas relembro, SEI que o SHEIKE foi MUITO FELIZ!
Bjs

Rita disse...

Minha querida, essa é uma dor enorme e só não entende quem não a vive. É um vazio muito grande...
Não quero pensar quando esse dia voltar a acontecer lá em casa!
Sarah, também já passei por isso! É muito revoltante e a dor custa muito a passar.
Mas no final, ficam sempre as boas recordações que eles nos deixam e muitas saudades das suas lambidelas!

Anónimo disse...

Querida Carolina,
Sabes que apesar de leitora assídua, não costumo deixar comentários!...
Só quero mesmo deixar um beijinho e dizer que sinto muito! Dói mais do que alguém da família afastado e de que não gostamos assim muito... Já tivemos de tomar uma vez decisão semelhante. Lembra-te que foram altruistas e provaram que realmente o amavam. Não fazemos sofrer aqueles que amamos!...
Beijinho grande.
MPerdigão

Mommy Kiki disse...

Minhas queridas,

A todas muito obrigada! Ainda custa muito, mas com os dias a passar, a dor vai-se transformando em saudades e boas recordações.

Beijo grande