17/11/2010

Por cá o cenário é de guerra...

O Luís está fora e estou com os dois em casa sozinha. A Gigi está doente e não vai ao colégio desde 2ª feira.
Não se percebe muito bem a fronteira que separa um dia do outro...
Tenho-me esforçado para lhe dar de mamar religiosamente de 3 em 3 horas para que ele engorde bem até 6ª feira. Os intervalos entre mamadas parecem ter 5 minutos em vez de 3 horas. As noites são passadas entre ir tapá-la, vigiar a tosse dela, por a chupeta ao Vicente e deitar a maminha para fora. Volta e meia calha dormir um bocadinho... O tipo arranja sempre tempo para conversar durante a noite! Fica uma a duas horas acordado a olhar para tudo e a fazer caretas e quer companhia, nada de o por na cama. Cada vez que lhe dou de mamar, peço (peço muito) para ela não acordar. Mas a pontaria dela é certeira... Arranco a mama da boca dele e vou a correr ao pé dela para que ela não acorde muito e volte a adormecer rapidamente. E volto a correr para ele que entretanto protesta (cheio de razão) porque lhe tiraram o leitinho a meio!
Às 8h da manhã, apesar dele só ter de comer às 9h30, entra-me um ratinho para dentro da cama! Por muito que tente nem consigo abrir os olhos... Convenço-a a deitar-se ao meu lado mas não a aguento mais de meia hora. Toca a levantar! Enquanto lhe preparo o pequeno almoço e procuro os desenhos animados, começa ele a acordar. Vou buscá-lo e trato também do pequeno-almoço dele enquanto engulo uma chávena de leite e uma torrada. Acabo de tratar dele e vou fazer vapores a ela, tirar leite com a bomba, vestir uma saia à barbie e por o DVD do Mickey no repeat. Ainda só tirei leite há meia hora e já está outra vez na hora dele comer... Vou dar-lhe banho enquanto ela faz algumas tentativas para chamar a minha atenção. Não tenho nem uma gota de leite. Felizmente consegui tirar 40ml e dou-lhos. Não me parecem suficientes mas já dá para ele aguentar um bocado até as "garrafas" encherem outra vez.
No meio de tudo isto ainda estou de pijama, tenho brinquedos espalhados pela casa, camas por fazer e roupa para tratar... Apetecia-me abrir as janelas todas para deixar entrar ar novo mas tenho o Vicente a dormir a Gigi cheia de ranho e tosse. Ponho-os na sala e abro as dos quartos. Olho à minha volta e só me apetece fugir! Estou transformada no verdadeiro protótipo da parideira dona-de-casa! Gorda, com olheiras até ao umbigo... As unhas estão péssimas e o cabelo já teve melhores dias... Só me faltam os papelottes na cabeça e as pantufas felpudas cor-de-rosa.
Visto-a e ponho o almoço a fazer. Sim! Já são 13h! Tomo um banho a correr porque tenho o Vicente a cozer e o peixe a choramingar... Ai não! É ao contrário!!! Os neurónios também já não funcionam muito bem!
Almoço a correr antes que ele acorde e ponho-a na cama a fazer a sesta! O vizinho de cima está a destruir a casa e tenho há duas semanas um martelo pneumático e um berbequim a funcionar em cima da mona das 9h às 18h. É de loucos... Tenho de aproveitar a hora do almoço para ela dormir!
Pronto! O gajo acordou! Espero já ter leite outra vez... Daqui a bocado ela acorda, depois dá-se os lanches, salta-se mais um bocado em cima do sofá, espalha-se mais uns brinquedos... Vem o banho, uma ou duas birras, o jantar e cama... E eu continuo a "botar as mamas para fora" de 3 em 3 horas...
Estas coisas nos filmes são muito mais bonitas e fáceis...
****

9 comentários:

disse...

:-) - um sorriso de cumplicidade.

Todas já passámos por uma cena dessas, digna de filme, uma ou outra vez...
Só te posso dizer que estou solidária contigo!

Bjinhos

P.S. - E foste uma sortuda, até conseguiste tomar um duche!!!

Marina disse...

Já estou como a Té, eu tinha dias em que nem um banho conseguia tomar! Sabes o que precisas? Alguém que te ajude. A tua mãe ou a tua sogra não podem ficar umas horas por dia com a Gigi. Assim descansavas, o que também ajudava na produção de leite. Se tens a quem pedir ajuda, não hesites nem tenhas vergonha de pedir. No primeiro mês da Carmo a minha mãe e sogra ajudaram-me com o Manuel e com as coisas de casa e foi uma das coisas que me valeu para ter sucesso com a amamentação. Beijinho

Maria João disse...

Eu juro, do fundo do coração, que se vivesse aí perto ia aí dar-te uma mãozinha. Arrumava a casa, ia passear com a Gigi, tratava do Vicente. O que quisesses!
Bjinhos!

Mommy Kiki disse...

Pois... Nada que muitas mães não tenham vivido já... :))
A minha mãe tem-me ajudado imenso e sempre que pode! Com a minha sogra não posso contar...
É só pensar que daqui a um ano vai estar muitoooooooo melhor!!!
Maria João, tão querida! Muito obrigada! Umas bolas de berlim quentinhas já eram uma grande ajuda! :P

Beijosss

Sarah disse...

Olá!!
Depois de ler isto, fiquei com o coração pequenino.
Não me imagino nesse filme. Não estou preparado para toda essa azafama. Não estou mesmo!!!
Agora a sério, sou tua vizinha ... pelo menos de linha :)
Tu diz-me o que precisas!!! Posso ir às compras! Arrumar alguma coisa! Ficar com a Gigi ou mesmo passeá-la não, porque não me conheces nem a miúda se sentiria à vontade.
Tu precisas de tempo!!! De uns minutos para ti!!!
Diz-me o que precisas ou que queres que eu faça!
manda-me um e-mail.
Beijinhos e calma

obs: ohhh Sr. papá é favor ir para casa e partilhar as tarefas com a sua adorada e super esposa!

Patrícia Teodoro disse...

Admiro-te juro que te admiro. beijinhos amigos

Rita disse...

Soube hoje que na sexta não trabalho :)))) Tenho hóspede cá em casa, mas posso ir à tarde ter contigo! Ligo amanhã... essa da bola de berlim ficou aqui no "goto" lol

Su disse...

Querida amiga, não pude deixar de me sentir "tocada" por este post. É tão normal essa azáfama toda! as minhas meninas têm diferença de 6 anos e mesmo assim também me senti como tu. Esta fase é inicial, de adaptação. São os dois pequeninos, requerem os 2 muita atenção. O tempo passa muito rápido e acredita que daqui a pouco já o Vicente se entretem a olhar para a irmã e ela também vai crescendo e vai percebendo que as atenções que antes eram só para ela agora são também para o irmão. Acaba por habituar-se.
Gosto muito de "te ler", e como alguém aqui já disse, tenho muita pena de não viver perto de ti (vivo perto do Porto...), pois para além de gostar muito vos conhecer teria também todo o gosto em ajudar naquilo que fosse necessário.
Amiga, aproveita cada bocadinho desses dias, pois embora atribulados não voltam e acredita que vão deixar saudades.
Bjinhos a todos, com carinho

célia disse...

Como eu te compreendo neste momento. O meu mama de 4 em 4(+ ou -), mas se a Margarida fica em casa, então instala-se um caos. Realmente ter 2 filhos é bem diferente, mas vais ver que daqui a uns meses tudo parece muito diferente! Apesar de estar longe, tens todo o meu apoio moral. Vamos conseguir!!!