24/12/2012

Querida D. Teresa

Ontem passei o fim do dia na cozinha a preparar um Natal que não era para nós, mas sim para uma senhora que não sabia quem era. Que vivia numa casa que não sabia onde era.
Hoje fui levar um abraço à D. Teresa. Que mora numa casa escondida no cimo de um terreno. Que ficou viúva há um ano de um homem que fez da vida dela um inferno. Que perdeu uma filha bebé com tuberculose e um filho já adulto. Restam-lhe dois cães que lhe fazem companhia e protegem a casa e um neto que insiste em visitá-la apenas para pedir dinheiro ou levar as poucas jóias que conseguiu comprar ao longo da vida.
De roupão e xaile nos ombros, com a cara carregada de rugas e os olhos vazios. Estive uma hora com ela. Falou, falou, falou... Feliz por ter companhia e com quem desabafar. E eu a conter as lágrimas de cada vez que ela me pegou na mão. 
Na verdade não sei se saí de lá de coração cheio ou vazio... Saí triste... Sabemos que estas realidades existem, mas vê-las e senti-las não é fácil... Saí feliz por saber que por um momento a D. Teresa se sentiu acompanhada, mas não é fácil voltar para a minha família, para a minha ceia de Natal cheia de luz e calor e saber que ela (tantas D. Teresas) vai estar sozinha a jantar na mesa daquela cozinha escura e velha com as fotografias dos familiares e uma Nossa Senhora a fazerem companhia.
Acho que todos devíamos levantar o cú das nossas casas confortáveis de vez em quando e levar um abraço a estas pessoas que nada têm. 

FELIZ NATAL A TODOS!




O Vicente fez questão de me fazer companhia na cozinha.

Bacalhau, rabanadas e broas de mel.


7 comentários:

Este Blogue precisa de um nome disse...

Isto sim, é Natal! Obrigada, Kiki, por partilhares o teu espírito natalício :)

À Sr.ª D. Teresa, a ti, aos teus filhos e à tua família desejo um Santo Natal! :)

Beijo

Dondoca, Fada do Lar e Mãe de Gémeos disse...

Lindo Carolina! Fizeste-me sentir pequenina por não ter feito nada assim este ano! Feliz Natal!

Anónimo disse...

Infelizmente é o fim de tantas pessoas e acho q essas pessoas precisam é dos seus..e não dos estranhos..
há q levantar o cu da cadeira é para amar os seus e respeitar q é o q mta gente n faz e depois acabam sós.

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

Se um dia ficar sozinho/a como a D. Teresa, espero que algum estranho se dê ao trabalho de levantar o cú para lhe levar um abraço no Natal!

justme@32 disse...

E com este post fiquei com lágrimas nos olhos...
Obrigada Kiki por me fazeres lembrar mais um bocadinho o verdadeiro espirito de Natal!!

Boas festas!

Bi disse...

Tão bom Kiki!! <3 Um grande beijinho e um Santo Natal para vocês!!

Velud'arte disse...

Ainda bem que há pessoas como tu, que pena que ainda há D. Teresas... Este post bateu fundo no meu coração! É sempre bom sermos relembrados destas situações, estamos sempre a tempo de fazer algo por alguém! Grande beijinho.