23/08/2013

Lidl - Um conceito perdido ou melhorado?

Lembro-me da loucura que foi quando o Lidl abriu! Um supermercado muito barato quando as pessoas ainda tinham vergonha de comprar barato e quando o Continente ainda não usava os cartões para saber a cor das nossas cuecas ou quantas vezes comemos fiambre por semana. O facto de ser uma marca estrangeira com produtos estrangeiros, era uma óptima desculpa para lá ir comprar folhados de salmão congelados e bolachas ao preço da uva mijona.
De repente comaçaram a vender coca-cola e cerelac. Depois começaram a ter fruta e legumes frescos, ainda que de muito má escolha. Mas os preços de alguns produtos continuavam a merecer uma visita ainda que tivéssemos de comprar metade das coisas que precisávamos noutro supermercado. Depois vieram mais marcas ao gosto do freguês, que eu cá para mim nós somos tão tradicionais que eles não tiveram outro remédio senão ir trazendo marcas para continuarmos a lá ir. Veio o pão e até o pão quente! Maravilhoso, diga-se de passagem... 
Por norma sou fiel ao Continente e já não ia ao Lidl há um tempo. Hoje, por perguiça, lá fui eu outra vez. Pois tinha todo um expositor em vidro moderníssimo com uma escolha infinita de pão (quente), folhados salgados e doces, pastéis de nata, donuts... E de repente, em vez de numa mercearia alemã, estava numa boulangerie em Paris. Deparei-me com fruta e legumes com óptima cara, carne e peixe frescos e uma loja arranjada, arrumada e limpa. Com boa cara até! A avaliar pelo número de senhores com ar de importantes que para lá andavam, deviam estar a inaugurar o conceito hoje naquela loja. E se antigamente só podíamos pagar com dinheiro, hoje em dia, até visa se pode usar. Daqui a nada, espetam-nos com cartões de pontos e descontos, começam a saber também quantas vezes comemos fiambre por semana (já provaram o presunto floresta negra no Lidl????? De cair para o lado!) e prontus! Passam a uma marca lowcost alemã lusofilizada. Quase como a Troika! Só não entendo se isto foi a evolução de um conceito ou a adaptação forçada a um povo casmurro e preconceituoso como o nosso! Tradicional era o que eu queria dizer!...

12 comentários:

Mum's the boss disse...

Não faço ideia, mas eles já mudaram o conceito há algum tempo e estão a investir. a concorrencia cá é grande. o que mais me agrada é que a grande percentagem da fruta e das carnes é portuguesa. e por isso vou lá algumas vezes, qd me da a preguiça de ir ao mercado ou a mercearia. Legumes, de preferencia nacionais e o mais possíveis 'caseiros'.
Beijos.

Miguel disse...

E amanhã oferecem gelados...

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

hahaha Boa dica! :D

Raquel Vieira disse...

No outro dia, ouvi de um especialista em segurança alimentar, que o LIDL é neste momento o melhor! Em termos de qualidade e frescura e até do controlo de qualidade super mega hiper rigoroso!! Mas por uma questão de comodidade não vou lá... Tenho o Pingo Doce a 500m e o Continente a pouco mais q isso...

Marta Prazeres disse...

Só não gosto de uma política do LIDL...
os produtos que passam de validade, ou legumes/fruta que sabem que já ninguém vai comprar, eles deitam fora claro. mas desde que os ucranianos, ciganos... etc souberam disso, passavam as noites a carregar as carrinhas deles com produtos ainda bons! só que houve confusão entre eles, porque não souberam partilhar! então agora o LIDL destrói TUDO.
é certo que acabaram as guerras entre eles, mas continuam a ir lá barafustar, agora com o LIDL.
Não sei se foi a melhor opção do supermercado.

vidasdanossavida disse...

De há uns tempos para cá o Lidl mudou. Abriu um ao pé de minha casa carne, legumes e fruta fresca nacional e de óptima qualidade. E tem o pao de soja do sabugueiro que não encontro em todo o lado. Gosto de lá ir. E geralmente nunca tem muita gente e está sempre limpo e arrumado.

Tânia disse...

Eu hoje em dia compro praticamente no LIDL e no P.D.

Também senti, ao longo do tempo, uma forte mudança no LIDL, e, agora sou fã.

Bjs

akombi disse...

O que eu me identifiquei em alguns tópicos deste post, gosto do lidl pela fruta e legumes, o pão fresco já não é mto artificial, agora vou lá de prepósito pela água, os sacos do lixo que por aqui área da jardinagem vai lá tudo abastecer têm mais qualidade que os industriais que experimentamos, tb adoramos gelados, bolachas, e chocolates aiiii chocolates :p , mas sim tb sou mais fiel desde que têm os nossos produtos aos quais sou fiel e que acho bem em se terem adaptado a nós ( diz quem está na Alemanha que o lidl de lá é uma loucura em produtos industrializados, baratos, e super calóricos) .......continente tb gosto e dou preferência aos lácteos da marca deles...á e bolachas e alguns chocolates....já pingo doce só em último caso, cada vez dececiona mais, um deles por aqui perto até cheira mal na zona dos frescos :(....já ALDI que me parece o conceito do lidl em nada tem a ver e aqui penso que os produtos não têm qualidade .....haja dinheiro que a onde comprar não falta.

ana disse...

quando vivia em portugal era fã de alguns produtos do lidl, quem me dera que aqui em maputo houvesse um! a falta que me faz um bom supermercado!

Paula disse...

Desde que não comecem a aumentar os preços como os seus primos lusos, para mim está bem...
vidademulheraos40.blogspot.com.

Sónia disse...

Já à alguns anitos que eles andam a mudar o conceito. Tema alguns produtos deles que eu até gosto, e amim dá.me jeito lá ir é só atravessar a estrada. O pão eu adoro é maravilhoso e aguenta-se imenso tempo sem ficar seco e duro.

Anónimo disse...

Para mim, o lidl só tem um grande defeito: não vende cápsulas dolce gusto nem fraldas da marca Dia! De resto, é o meu supermercado de eleição, compro lá tudo. :)