14/10/2009

Hora do Banho!


É dos únicos momentos lúdicos que tenho diariamente com a minha filha... Infelizmente, a rotina do dia-a-dia não nos deixa tempo para mais! Antes de ser mãe, dedicava-me inteiramente ao trabalho. A hora que mais gostava de trabalhar era depois das 18h quando todos saiam e o telefone parava de tocar. Às vezes até arrastava o trabalho, para poder ficar lá até mais tarde a fazer as coisas sossegada. Hoje as prioridades são outras e apesar de adorar o meu trabalho, desde que a Luísa fez um ano e deixei de ter direito à redução de horário, os momentos com a minha filha ficaram reduzidos a pó... São raros os dias em que consigo sair às 18h! Há até dias em que faço um esforço incrível para sair às 19h... No que é que isto se traduz? Saio do escritório a correr, com o trânsito são quase 19h20 quando chego a casa dos meus pais e quase 20h quando chego a nossa casa. Da porta de casa, vamos direitas ao quarto dela para a despir e seguir a correr para a banheira. Do pijama lavado, voamos para a cozinha, onde cantamos e conversamos enquanto ela engole a sopa. Com sorte o pai chega entretanto a tempo de lhe dar um beijo e depois só falta lavar os dentes e mergulhar na cama pelas 21h!

Tento transformar cada minuto e cada segundo, num momento feliz e de cumplicidade entre as duas. Namoramos muitos nestes pequenos momentos. Conversamos e cantamos, trocamos olhares e carinhos. E não me farto de lhe dizer o quanto a adoro! No dia seguinte pela manhã, o pai veste-a e dá-lhe o bibinhas enquanto eu tomo banho e preparo as coisas para sairmos de casa. (sempre a correr) Ainda consigo abraçá-la e dar-lhe muitos beijos no caminho entre o carro e o colo da educadora já dentro da sala.

Fico triste... Profundamente frustrada e desapontada. Com uma sensação de falhanço na qualidade de mãe. Na sexta feira passada tive um dia extremamente esgotante no trabalho e quando cheguei a casa a morrer de saudades dos olhos, do cheiro e da voz da minha filha, ela empurrou-me e não olhou para a minha cara... Com o cansaço e todas estas sensações acumuladas, não aguentei as lágrimas!

Porque é que é tão complicado? Matamo-nos a trabalhar para poder dar uma vida boa aos nossos filhos para depois não termos tempo para usufruir das coisas boas que queremos conquistar.

Restam-me a imagem dela no inter-comunicador e as vezes que vou ao quarto dela espreitar para ver se está bem e "perco" (=ganho) alguns momentos a contemplá-la a ela e ao seu sono descansado. Penso na sorte de ter uma filha assim e na vontade que tenho de mergulhar na cama dela e dormirmos as duas em conchinha...

É muito injusto....

Estou triste... :(


****


p.s: Hoje fomos visitar o namorado Francisco e a Luisinha teve o "desplante" de andar sozinha!!! PARA A SOGRA! (ingrata!) :P

4 comentários:

Mafalda, Rui e Constança disse...

Temos vidas bastante complicadas hoje em dia, aproveita bem os fins de semana.
Beijinhos

Rute disse...

Minha Qurida,
ao ler o teu post revi-me nele. Por vezes também me sinto uma má mãe por nem sempre ter paciência e mais tempo para o meu filho. O que podemos fazer, uma vez que temos de trabalhar, é fazer com o o pouco tempo que estamos com eles sejam inesquecíveis! Poucos, mas bons!
Beijihnso

Mafalda disse...

Hoje senti um bocadinho isto que acabaste de escrever e ainda nem trabalho!! nem quero pensar quando estiver a trabalhar!!! como agora estou a tirar um curso, todos os dias, em Lisboa, a Madalena fica até mais tarde na creche, entra muito mais cedo, e vemo-nos pouco. Hoje fui buscá-la às 18h30! ela estava super bem disposta, mas claro, exausta! foi chegar a casa, colocá-la no banho, dar-lhe o jantar que vinha esganada e ala para a cama onde adormeceu em 2 segundos... nem o pai a viu! e apesar de ser bom estar aqui tranquilita na net e no pc enquanto a garota dorme, sinto que hoje não desfrutei nada, absolutamente nada da minha filha! nem quero pensar quando estiver a trabalhar...
beijocas grandes! (e não penses que falhas como mãe!! o sistema é que não está, pura e simplesmente, direccionado para a harmonia familiar e a conjugação com o trabalho... é quase impossível uma mãe que trabalha das 9 às 19h00 conseguir fazer mais!)
beijos grandes*

Mafalda disse...

Hoje senti um bocadinho isto que acabaste de escrever e ainda nem trabalho!! nem quero pensar quando estiver a trabalhar!!! como agora estou a tirar um curso, todos os dias, em Lisboa, a Madalena fica até mais tarde na creche, entra muito mais cedo, e vemo-nos pouco. Hoje fui buscá-la às 18h30! ela estava super bem disposta, mas claro, exausta! foi chegar a casa, colocá-la no banho, dar-lhe o jantar que vinha esganada e ala para a cama onde adormeceu em 2 segundos... nem o pai a viu! e apesar de ser bom estar aqui tranquilita na net e no pc enquanto a garota dorme, sinto que hoje não desfrutei nada, absolutamente nada da minha filha! nem quero pensar quando estiver a trabalhar...
beijocas grandes! (e não penses que falhas como mãe!! o sistema é que não está, pura e simplesmente, direccionado para a harmonia familiar e a conjugação com o trabalho... é quase impossível uma mãe que trabalha das 9 às 19h00 conseguir fazer mais!)
beijos grandes*