30/09/2013

Este estranho sentimento de compaixão...


Que as pessoas têm por mim... 
Que eu sinto à distância no olhar, no sorriso tímido, na mão que me aperta o braço. Na pergunta fatal... "Então? Como é que estás?" Sei que não fazem por mal... Sei mesmo que não! É carinho. Mas detesto que tenham pena de mim! Não sou nenhuma desgraçada... Quantas famílias vivem separadas? Quando pús os papéis do divórcio, ainda íamos a meio do ano e já ia nos 50.000! E quantas pessoas estão sem trabalho? Segundo as estatísticas, em Agosto éramos quase um milhão!
Não se preocupem que eu aguento o tranco! Aguento mesmo! Confesso até que esta fase me está a saber pela vida... (A parte de não ter trabalho chateia...) Mas o ser livre! Ou melhor, sentir-me livre! (bem diferente ser e sentir) Assim que percebi que os meus filhos tinham superado a coisa, pude finalmente tomar conta de mim. Saber que posso fazer o que quero, sem dar satisfações, tenho muito menos roupa para lavar, gasto muito menos em supermercado. Uma cama gigante só para mim, onde por vezes se apresentam uns ratos quentinhos durante a noite e se enrosacam em mim. Mimo não me falta! E o tempo que eu ganhei com as minhas amigas? Ir ao shopping sem crianças não acontecia há 5 anos... Até ia nervosa sempre com a sensação de que não sabia onde estavam os meus filhos. Sair à noite, jantar em casa de amigos até às tantas. Conhecer pessoas novas com conversas novas e histórias novas. Além de que, isto já não é assim tão recente! Já lá vai quase um ano. O luto está todo feito! Todinho!!! Aliás, do luto, já passámos à festa!
Por isso, quando me virem na rua, não me apertem o braço com um sorriso de compaixão. Dêm cá mais 5 e saltem-me em cima num abraço vibrante e cheio de boas energias! Damos um grito de guerra e bebemos um red bull para festejar ok?



11 comentários:

Sónia disse...

é bom saber que estás bem, a vida é mesmo assim com acidentes pelo meio mas temos de andar em frente e aproveitar ao máximo. Espero que encontres trabalho :)

Beijinhos

Ana Pulido Garcia disse...

dá ca mais 5!

mãeee disse...

Toma lá um grande abraço e dá cá mais cinco que a felicidade está nos pequenos momentos de TODOS os dias!
Beijo doce

cris disse...

Já sigo este blog hà uns anitos, foi uma das minhas primeiras descobertas na blogosfera. A leitura não é continuada porque o dia a dia assim não o permite mas só hoje soube que estava divorciada. Nunca o imaginei porque este espaço transmite muita alegria de viver. Parabéns e bjinhos.

Mafalda disse...

Para a frente é o caminho! E sempre que precisares de mim, estou "aqui"! beijo grande minha guerreira super-mulher! :)

Ana Maldivas disse...

hahaha!
bom, acho que já aqui disse (e se segues o meu blogue deves já saber há muito) que no ano passado também fiz a "all in one" divócio-desemprego-bebé e ainda lhe juntei o - ficar sem a casa de sonho para e mudar-me para apartamento escuro arrendado.
Confesso que quando comecei a ler este post, ia já numa de dizer não afastemos a compaixão. O que me chateia é a indiferença. A indiferença das amigas que por isto me viram passar e desapareceram como passarinhos medosos quando ouvem um tiro ao longe. Ligavam assim de quando em vez, mais para saber dos desenvolvimentos do que propriamente para saber de mim.
Pois aí senti falta da compaixão. Mas da compaixão como ela significa verdadeiramente: a compaixão do "eu sentir no meu coração a tua dor". do "eu estou aqui para ti". Não da pena. Não do coitadinha, não merecia, pobrezinha. Isso não é compaixão, mas sim simples vazio indiferente. E hoje em dia, falta muito mesmo da verdadeira compaixão. Não a peninha fácil de quem olha, comenta e segue a sua vida. Mas compaixao com o sentido de co-sentimento, de co-feeling, de estamos juntos nisto.
Essa sim, é desejável. Mesmo que sejamos super-mulheres. Ou mesmo que o queiramos parecer... Essa sim, faz falta. Da outra, nada queremos. Porque é superficial e ainda pode ser ofensiva para nós por, precisamente, nos reduzir a pobres serzinhos miseráveis.
Bom, era isto, quando comecei a ler o mail... depois percebi que dessa, da verdadeira co-paixão, co-amizade, tens, de facto, tido... E é essa que te tem permitido andar bem. Estás muito bem apoiada, tens amigas, gente boa que te rodeia, te fez dar nova cor à vida. Tal como me aconteceu a mim, com o meu novo namorado (agora quase marido) e minha "modern family". São as pessoas que aparecem e nos dão a co-paixão, o co-sentimento, o "estou contigo" que nos permitem, de facto, seguir em frente, ver as coisas coloridas que antes já não tínhamos. Como me revejo nas tuas palavras! Sim, o voltar a sair, o cinema... o voltar a ler, para mim o Tango:), enfim, renascer de uma vida que estava moribunda...
Agora aquelas pessoas que por nós passam e olham com o tal sorriso tímido... muitas vezes não serão no fundo pessoas que sentem a verdadeira e boa compaixão? Dá-lhes o benefício da dúvida... Para as boas almas também nem sempre é fácil adivinhar as boas palavras, o saber o que dizer... E podem passar pelas das "outras", das tais indiferentes, que atiram com o comentário fácil, nos reduzem e seguem a sua vidinha. Quem dá a palavra de conforto, o sorriso tímido, pode nem sempre estar a por em causa o que és, a mulher forte que és ou o quanto está bem... mas pode, sim, estar verdadeiramente "contigo". Sim, aparecem assim por vezes pessoas do nada... :)
Um beijinho de quem passou pelo mesmo.

Anónimo disse...

é carinho ..n se ofenda, o pai dos seus filhos por uma ou 2 fotos q vi , transmitia pelo olhar algo q poucos são e sempre pensei q n combinava consigo pela sua forma de encarar a vida ..força :)

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

Ana Maldivas, é tão, tão, tão isso!!! Fico muito feliz por ti!!!! :D Toda a felicidade do mundo!!! <3

Raquel disse...

E eu fico muito feliz mesmo por ti Kiki e pela ana Maldivas (já fiz alguns comentários a esse propósito), e ao ler-vos felizes vou dormir melhor (leio, de fugida, na cama antes de dormir)! Pode parecer estranho por não vos conhecer pessoalmente mas é verdade! :-)
E, claaaaro, dá cá 5 e um xi coração apertado! :-)
Beijinhos

Ana Maldivas disse...

Obrigada Kiki e Raquel :)

Raquel disse...

:-) de nada Ana!
Beijinhos