23/08/2011

O tu e o você...

Em relação a tratar-nos por você, foi uma opção nossa!
O Luís e eu tratamos os nossos pais por tu. E eu, não sei porquê, também trato as minhas avós por tu, mas os tios por você. Só que eu não gosto de ver crianças a tratar os adultos por tu! E como é que se ensina uma criança a tratar um adulto fora da família por você se ela tratar toda a gente em casa por tu?
Não acho mal, nem critico os filhos que tratam os pais por tu! Acho é que cada família sabe de si e deve passar aos filhos aquilo que acha mais importante, sem que ninguém tenha de meter o bedelho ou criticar.
E não é por nos tratar por você que temos uma relação mais fria e/ou distante porque os mimos, a cumplicidade e o amor fazem-se de gestos, olhares e tempo de qualidade partilhado e não de formalidades!
Isso tem feito com que ela trate o irmão por você porque nos ouve a nós a tratar também e isso eu não gosto. Mas com o tempo, há de aprender que o Vicente é o pequeno compincha dela e pode tratá-lo por tu, mas há de sempre saber tratar um adulto com respeito e educação. E essas coisas, se não vierem empregnadas na pele desde sempre, dificilmente se aprendem!

****

23 comentários:

Jo disse...

Apesar de não achar que para se tratar um adulto com respeito seja necessário usar o 'você' em vez do 'tu', concordo que cada família tem as suas 'regras', faz as suas opções, e ninguém tem nada que criticar/julgar.

Slimiteca disse...

Oi,raramente costumo comentar,mas leio o teu blog assiduamente..e adoro,divirto-me imenso com a tua forma de escrever. Sabes, eu sempre tratei os meus pais por tu,assim com eles a mim,e eles não sabem porque,mas tanto eu como o meu irmão sempre tratamos os adultos todos da família por você (Avós,tios,etc.). É curioso o teu post, pois também gostaria que os meus filhos tratassem os mais velhos por você,mas confesso que não consigo nem trata-los por você,nem que eles me tratem por você. São opinoes claro. Mas ainda hoje os meus pais não sabem explicar,mas é certo que ate hoje isso se mantém,mesmo com tios com poucos anos a mais do que eu.

Tânia (Mamã do Santiago) disse...

O que eu não percebo mesmo é qual é a necessidade de as pessoas julgarem isto ou aquilo!

Cada dá a educação que quer...e mais não se devem rotular as pessoas por isto ou por aquilo.

Fazes muito bem em dar a educação que pretendes :)

Só sedas disse...

Toda a vida tratei os meus pais e restantes adultos por você sem que isso constituisse nenhum embaraço ou barreira na hora de demonstrar ou pedir afecto. Acho que é um hábito como outro qualquer e so faz sentido num contexto de educação que os pais decidem para os filhos (já filhos a trater pais por você e depois lançarem "o pai é estúpido" ou pais a traterem filhos por você e os filhos a responderem com tu...)

Nós... disse...

Olha ai está uma questão que eu já queria ter visto respondida à algum tempo (atenção não por voces mas por ignorancia da minha parte)

Smp achei que todos os pais que tratavam os filhos por voc~es eram para se mostrarem "grandes" (não tive um bom exemplo eu sei) mas tu quebras-te todas as minhas ideias erradas que tinha desse assunto.

Confesso que jamais me tinha passado pela cabeça a justificação que deste, e faz sentido!

Obrigada por esclarecer alguem ignorante como eu (pré-mamã de 1ª viagem, lol) e espero que não leves a mal o meu comentario :)

beijinhos nossos

Kiki disse...

Pois, há alguns pais que o fazem porque são snobs e acham que é bem tratar assim os filhos, eu faço-o mesmo por uma questão pedagógica! :)

Ni! disse...

Sinceramente é-me indiferente que tu, a vizinha do lado ou a senhora da mercearia tratem os filhos por tu ou você. O que eu acho é que não é isso, de todo, que define a educação que se passa a uma criança. O meu filho tem 21 meses e fala como se tivesse 3 anos. Trata os adultos da família por tu [ó avô dá-me, á mãe, anda cá, etc] e usa correctamente o termo se faz favor. E faz isso também com os adultos que não são família. Obviamente com esta idade não usa o você, nem termos como "chegue-me a colher, sff", mas para ele, todos os adultos que não são família são o Sr. X e a D. Y. E vai ter tempo de aprender, quando for mais velho, a tratar as pessoas conforme os laços, o grau de amizade e confiança, que foi o que eu fiz a vida toda e nunca faltei ao respeito a ninguém. Honestamente, não discuto se é certo ou errado tratar os filhos por você e vice-versa. Não há errados neste assunto, cada família saberá como se sente melhor. Agora, não concordo que essa é a única forma de ensinar uma criança a tratar um adulto fora da família com o respeito que essa pessoa merece.
Desculpa o testamento.

Tânia (Mamã do Santiago) disse...

A Ni disse tudo!

Kiki disse...

Olá Ni! :) Não tens nada que pedir desculpa! Concordo contigo! Não é de certeza a única forma. Só quis explicar que foi uma opção nossa e que não podemos ser criticados por isso! Da mesma forma que também não critico os pais que educam os filhos a tratar os pais por tu. Eu própria trato os meus! E há muito boa gente que tem a mania que é bem e que trata toda a gente por você que depois não sabe respeitar os outros. Há mil formas de percorrer o mesmo caminho e o importante é chegar lá! As direcções que cada um toma para o fazer só dizem respeito a si! (e agora quem "testamentou" fui eu! lol)

beijinhos*

Ni! disse...

Mas é que é isso mesmo. Eu confesso que me faz um pouco de confusão quando o tratamento por você entre pais e filhos vem associado a snobismo. Mas mesmo assim, calo-me. As pessoas deviam aprender mais a preocupar-se com a sua própria vida e não com a dos outros. O mesmo se aplica a 1001 parvoíces do género "o teu ainda não caminha? e já lhe dás morangos? e ainda não faz no pote?" Que raio, quando é que as pessoas vão aprender que as crianças têm ritmos diferentes!? E pronto, já estou a desviar o tema :)
Beijinhos e obrigada por teres posto o assunto em cima da mesa.

Marina disse...

Acho que fazes muito bem em ensinar-lhe o você e, se para ti esse ensino passa por se tratarem por você entre vós: siga!
Eu já dei aulas de inglês ao básico e era considerado normal as crianças tratarem os professores por tu, coisa que eu não suporto. Então a maneira que encontrei de lhes ensinar o "você" (ou mais difícil o "a senhora isto ou aquilo") era tratá-los por você também, apesar de terem idades compreendidas entre os 6 e os 10 anos. Passadas as primeiras semanas já utilizavam o você adequadamente, sem me tratarem por tu.
Mais, não acho que o tratamento por você afaste as pessoas ou dê a sensação de frieza, assim como também não acho que tratarem-se por tu as aproxime! Estarei errada?
Beijinhos!

Marianne disse...

Tudo muito certo... até à parte em que te contradizes. Sei que não foi intencional, mas, se vires bem, começas por dizer que tratas toda a gente da tua família por tu... e no fim dizes que queres que eles aprendam o você, para terem respeito pelas pessoas, porque isso, se não vem desde sempre, dificilmente se aprende...

Então mas tu, que tratas toda a gente por tu, faltas ao respeito a alguém? Não, pois não?

Eu não acho que as faltas de respeito se prendam com esta questão do tu e do você. A minha foi habituada com o "tu" para toda a gente. Agora, com quase 4 anos, e sem lhe termos dito nada, começou a tratar os adultos com quem está poucas vezes (mesmo os que são da família) por você. Aos nossos amigos, como são da nossa idade, trata-os por tu. Sem problemas, sem faltas de respeito.

Cada família tem toda a legitimidade para escolher em que moldes quer educar os filhos. E nem o você é garantia de respeito nem o tu é sinónimo de bandalheira. E não acho que, hoje em dia, a questão da frieza se coloque (mas acho que a relação do meu marido com os pais - a quem trata por você - é muito mais fria do que a minha com os meus pais - a quem trato por tu).

Beijo (e bora combinar lanchinho!!)

Maria João disse...

Hmmm, pois, eu sempre me questionei o porquê de tratar os filhos por você! Embora também anão ache que tenha directamente a ver com a educação, a tua "explicação" até que é lógica! Consigo perceber o teu lado, mas sim, há familias que se tratam por você mesmo por serem snobs e esses não fazem a minima ideia o que a palavra educação significa!!

Anónimo disse...

Eu tb n gosto nada de ver crianças ou jovens tratarem os adultos por tu. N tive ainda necessidade de corrigir a minha filha pk na nossa familia ninguem trata por tu os mais velhos, ela faz o mesmo por estar habituada a ouvir :))) e é sim falta de respeito tratar alguem ke n conhecemos por tu, seja ela jovem ou adulta , e em minha casa n há snobismos e tb trato a minha filha por vc para ela perceber ke n deve falar à toa, para falar à toa tem a net um dia loll
já disse ke adoro o teu blog?? lol

Rita disse...

Há muito pouco tempo tb falei sobre este assunto no meu blog (http://coisasdeumavidaxpto.blogspot.com/2011/07/do-tu-ao-voce-ou-do-voce-ao-tu.html)
Tudo não passa de uma questão de "gostos", sendo que nas relações onde há respeito, carinho, amizade e cumplicidade, é completamente indiferente a forma de tratamento das pessoas!

Mami ( Sónia ) disse...

Concordo que cada família tem as suas regras e ninguém tem nada a ver com isso, mas não acho que tratar por você ou por tu traga mais ou menos respeito por alguém. Temos é de os ensinar a respeitar os outros sejam eles quem forem quanto ao resto é uma questão de hábitos e de gostos :)
Beijinhos

Mafalda disse...

A uma série de razões qu explicam o tratamento por você ou por tu em cada família: seja por tradição, por pedagogia, por snobismo ou por moda, mas admito que, tal como a Marianne acima disse, não percebo muito bem como alguém que sempre tratou os familiares por tu e aprendeu obviamente a tratar as pessoas de fora por você acha que é deve tratar os filhos de forma diferente daquela como foi tratada. Devo dizer que já há algum tempo me questionava como ensinar as miúdas (4 e 2 anos) tratar as pessoas "de fora" mas elas aprenderam sozinhas ouvindo nos falar.

Madalena Pais disse...

é como a questão de os miúdos tratarem os pais dos amigos/amigos nossos por "tias" e "tios"... Sempre fui educada assim, e eduquei os meus filhos assim tb. Sou do Porto, e há uns tempos o meu filho foi a casa de um amigo em que tratou a mãe por tia e ela virou-se : " Tia? Mas quê, os teus pais são meus irmãos?" ahah achei esta sublime :p Quanto ao tratar os pais por "tu" ou "você" concordo quando dizem que vai mais por uma questão pessoal de educação. Fui habituada a tratar os meus pais por você, e no entanto os meus filhos tratam-me a mim , aos avós, e aos tios por tu e fora isso é tudo corrido a você (excepto primos e pessoas da idade deles, claro está).

Anónimo disse...

Quanto ao tratar o irmão por tu pode não acontecer. Até hoje e já andamos na casa dos 40 anos, eu e a minha irmã não conseguimos deixar de nos tratar por você, para espanto de toda a gente. Foi o hábito e nunca o conseguimos perder mas tb n vem daí mal ao mundo ;)

Paulo Mota disse...

Eu não quero começar nenhuma guerra, mas...

"Isso tem feito com que ela trate o irmão por você porque nos ouve a nós a tratar também e isso eu não gosto. Mas com o tempo, há de aprender que o Vicente é o pequeno compincha dela e pode tratá-lo por tu, mas há de sempre saber tratar um adulto com respeito e educação. E essas coisas, se não vierem empregnadas na pele desde sempre, dificilmente se aprendem!"

Ensina-los a tratarem as pessoas por "você", que na minha opinião muito critica e preconceituosa, é sinónimo de gente riquinha.
Mas a tratarem-se um ao outro, ela já trata o irmão por tu, mas explicas-lhes que o irmão é o irmão e pode tratá-lo por tu.
Provavelmente é por haver essa distância do "tu" e do "você", que as pessoas não se dão mais umas com as outras.
Era muito mais fácil e pedagócio dialogar através de um "tu", do que por um "você".
Os meus pais sempre me trataram a mim e ao meu irmão por tu, e deram-nos muito boa educação. Tornaram-se não só nossos pais, mas também amigos.

Quando um dia eles precisarem de ajuda, como é que vão comunicar com vocês? -- "Pai, preciso da sua ajuda". Acho que no ouvido não cai muito bem, para além de mostrar distância afectiva.
Porque pode haver muito amor, mas não haver o que realmente necessitam.

Não estou a criticar só porque sim, nem a negativizar, mas ao dizeres que devem saber tratar um adulto com respeito e educação, o que me parece que tens medo de não os saber ensinar, ou medo de os saber educar. Esperas que ao usar a palavra "você", eles se tornem os melhores filhos do mundo, quando na verdade lhes podes estar a causar um atrofio cerebral e cognitivo, porque eles não vêm o mundo de duas maneiras, com excepções.

Quando tiverem amigos, também os vão tratar por "você"?
Acho que é mais o facto de terem medo de falhar na educação social deles, que os educam dessa maneira tão funil e arcaica.

Desculpa se sou tão critico, mas existem maneiras de educar de forma consciente e construtiva tanto a mentalidade com a personalidade e educação da criança, e essa não é uma delas.

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

São opiniões Paulo! E todas são válidas. Embora ache que não me conheces para dizeres o que eu penso.
Obrigada por partilhares o teu ponto de vista.

Rita disse...

Interessante o tema... Apesar de sempre ter tratado os meus pais por tu também sempre percebi quem devia tratar de forma diferente... trato as minhas filhas por tu e as amiguinhas da escola por você. Tal como trato o meu patrão por você apesar de haver total abertura para o tratar por tu!

Tratar alguém por tu é uma intimidade que se adquire, não um dado adquirido.

bjs.

Gostamos disto! disse...

Kiki,
só agora reparei que tinha escrito sobre este assunto. Hoje também partilhei post no meu blogue:) embora com opinião diferente é sempre saudável partilhar!

http://gostamosdisto.blogspot.pt/2013/08/olha-mae-estas-ouvir.html

beijinhos