29/10/2016

Esta coisa que nem nome português tem!

Odeio o Halloween! Acho que não tem pés nem cabeça. Tem zero a ver com a nossa tradição e não acrescenta nada à nossa cultura. 

Quase ponho a mão no fogo em como 99% das pessoas que festejam o Halloween nem sequer sabe porque o faz. Mas não há problema nenhum porque eu também não sabia quais eram as origens, mas fui pesquisar. 

Esta festa tem origem no Reino Unido e não nos Estados Unidos como quase todos pensamos. Surgiu em 1500 para celebrar o fim do Verão e o início do Outono. Para celebrar as boas colheitas que fizeram. Nada a ver com bruxas portanto... No fim do século XIX, com a enorme emigração que houve para os Estados Unidos, os britânicos levaram com eles os seus costumes e tradições. 

Só nos anos 30 é que se começou a ir bater à porta das casas a pedir biscoitos e não gomas ou chocolates e só nos anos 60 é que se começaram a mascarar e a meter abóboras e mortos-vivos ao barulho. 

Portanto, o que é que isto tem a ver connosco? Nada! 

Andamos o ano inteiro a dizer às criancinhas que não se aceita doces de estranhos para no dia-importado-dos-Estados-Unidos-sabe-se-lá-porquê já poderem aceitar tudo! 

Isto é mais um carnaval para, enquanto mãe, me fazer sentir mal porque não deixo os meus filhos se mascararem de palhaçada para irem bater à porta de casa de pessoas que não conhecem. 

É um pretexto para os chatos dos meus vizinhos andarem aos gritos pelo prédio o fim-de-semana inteiro a baterem-me à campainha vezes sem conta. 

Expliquem mas é o que é o Pão por Deus! E em vez de irem gastar rios de dinheiro em fantasias de zombies e em quilos de gomas, façam biscoitos com eles em casa para dar aos amigos. 

Já percebi que a Bruxa, no meio disto tudo, afinal sou eu! 

7 comentários:

Anónimo disse...

Olá! :)
Pelos vistos já somos 2 bruxas!
Por aqui vou tentar desligar a campainha de 31 para 1 e na 3ª de manhã irei com o meu pequenito pedir "os santinhos", como se diz na minha terra.
Como 2ª, na escola, irão antecipadamnente pedir o Pãp por Deus, amanhã é dia de passarmos algum tempo em casa a fazer as tradicionais broas, para levar para a escola e para dar a quem nos bater à porta dia 1.
Bjs e boas "amassadelas" em família!

Anónimo disse...

Mas porque é que o Halloween tem de ter a ver connosco? A Kiki não é bruxa nenhuma mas devia perder menos tempo a frustrar-se e a criticar um evento. Também vai escrever um artigo semelhante sobre o dia dos namorados? Sinceramente, ninguém a critica por celebrar o Pão por Deus, e se alguém a critica é de facto lamentável. Mas é igualmente lamentável a Kiki ter o mesmo comportamento de critica em relação a qualquer pessoa que goste de festas temáticas. Não sei em século a Kiki nasceu mas já viu a quantidade de coisas que importamos dos EUA ou Reino unido ou qualquer outro país?
Acho este post lamentável, mas a Kiki tem todo o direito à sua opinião e frustação com o que quer que seja. Como mulher e mãe, penso que a Kiki devia ser voz de assuntos que de facto contribuem para o intelecto e espiritualidade de todos nós e não artigos que incentivam à crítica de outros.
Desejo-lhe o melhor

Uma Vida pela Vida disse...

Muito obrigado por expôr o ridículo!

Anónimo disse...

eu também acho que devíamos ensinar aos nosso pequenotes a nossas tradições, como por exemplo o Pão por Deus! Depois se eles também quiserem brincar às bruxas, a meu ver, há que explicar minimamento o significado e ....enfim é a globalização!

Filomena

Celia Lopes disse...

Lembro tão bem do Pão por Deus.
Mas nós fazíamos bolinhos caseiros, iamos à casa dos vizinhos, que nos davam nozes, amêndoas e figos secos, em troca dos bolos caseiros com que os presenteávamos.
Era bem giro!

Ana Fernandes disse...

Kiki, subscrevo! Parabéns!
Não detesto o Halloween... nos países onde o mesmo tem tradição. Desde quando os Ingleses ou americanos celebram as datas comemorativas portuguesas!? Quando o fizerem, talvez eu celebre as deles. Com o devido respeito pelas tradições e costumes de cada um. É bom preservar a identidade, é isso que nos distingue e nos torna únicos... uns para os outros.

Anónimo disse...

Eu não sou religosa e mantenho-me afastada de assuntos religiosos, principalmente que tenham a ver com a Igreja Católica! Mas não ando aí a criticar quem pratica e quem festeja o Pão por Deus, entre outros!
Realmente quando se tem tempo a mais, perde-se a pensar e a criticar assuntos sem pés nem cabeça que não interessam nem "ao menino Jesus!"