26/11/2011

Ando doida com isto...

A preocupação natural já é normal numa mãe... Mas ando doente desde ontem! Taquicardias... Pensamentos tão idiotas e estúpidos que só me apetece bater em mim própria! Falta-me o ar! Normalmente vou ao quarto dos meus filhos de hora a hora (mais ou menos...) até me ir deitar para ver se está tudo bem ou se estão destapados. Ontem e hoje tenho ido de 10 em 10 minutos. Ponho-lhes a mão nas costas para ver se respiram... Parece que estou sempre a ouvir barulhos... Que grande merda!


A Síndrome da Morte Súbita consiste na morte inexplicável de um bebé aparentemente saudável durante o primeiro ano de vida. É um acontecimento bastante assustador uma vez que acontece sem aviso prévio! Este síndrome também é conhecido como “morte no berço” já que a maioria dos casos acontece durante o sono. Segundo as últimas estatísticas, na Europa morrem por ano 5 mil lactantes, vítimas da síndrome da morte súbita.
O diagnóstico nestes casos é feito, infelizmente, a posteriori. No qual tem de se excluir outras causas como: asfixia acidental, maus tratos, problemas cardíacos, infecções e alterações metabólicas.
Sabe-se que existem bebés mais susceptíveis mas não existe nenhum factor de risco que por si só possa causar o Síndrome de Morte Súbita.
Durante o primeiro mês de vida, a ocorrência de morte súbita é rara, aumentando este valor entre os 2 e 4 meses e cerca de 95% dos casos surge antes dos 6 meses.
A morte no berço geralmente acontece em contexto domiciliário, sendo o lactente encontrado sem vida no berço.
O Síndrome de Morte Súbita ainda persiste como uma das causas mais frequentes de morte durante o primeiro ano de vida. Em Portugal ainda não existe nenhum estudo que comprove a sua dimensão, contudo sabe-se que houve um aumento do número de casos de 1974 a 1990 e que a partir de 1992 tem-se verificado um decréscimo do número de casos. O Síndrome de Morte Súbita parece ser mais predominante no sexo masculino, ocorre entre o 1º e 4º mês de vida, no domicílio, durante os meses de Dezembro a Março, em períodos de sono e à noite.
Actualmente a causa do Síndrome de Morte Súbita ainda permanece desconhecida. Alguns autores referem que não existe um factor isolado, mas sim um conjunto de factores que podem levar a este acontecimento. Vários aspectos são considerados nomeadamente:
Predisposição individual: causas genéticas que afectam a maturação  de zonas do cérebro responsáveis pelo controlo das funções vitais  (ritmo cárdio-respiratório, pressão arterial, sono e acordar);
Causas desencadeantes – patologias habituais desta faixa etária, por vezes acumuladas, nomeadamente: infecção, refluxo gastro-esofágico, hipertonia vagal, febre;
Causas favorecedoras – ligadas ao ambiente do lactente, como sejam, a posição no berço em decúbito ventral (de barriga para baixo), o tabagismo, condições sócio-económico-culturais deficientes, mau seguimento pré-natal, colocar o bebe numa cama de adultos (dormir com a mãe, o pai ou irmãos) e dormir no sofá.
As campanhas publicitárias para sensibilizar a colocar os lactentes de barriga para cima (decúbito dorsal) para dormir, resultaram numa diminuição da incidência do Síndrome de Morte Súbita. Outros factores de risco a ter em conta são: a exposição ao tabaco, as condições de segurança no berço e o excesso de aquecimento.
Apesar da causa da Morte Súbita ainda ser desconhecida, estudos revelam que a adopção de algumas medidas dá azo a uma queda importante na ocorrência desta síndrome.
Pretendemos então com este artigo alertar para a implementação de algumas práticas que possam ajudar a cuidar dos lactentes.
Como Reduzir o Risco de Síndroma de Morte Súbita do Lactente
Segundo a Sociedade Portuguesa de Pediatria as recomendações seguintes recolhem a experiência de múltiplas associações internacionais, nacionais e regionais e correspondem à melhor evidência disponível da investigação epidemiológica.
- O lactente deve ser colocado em decúbito dorsal (excepto se contra-indicado pelo médico). O risco de Síndrome de Morte Súbita no Lactente aumenta se os bebés dormirem de bruços. Estudos revelam que, quando são deitados de costas, os bebés não aspiram mais o vómito do que se estiverem em qualquer outra posição. Algumas das razões porque o decúbito ventral é considerado perigoso e favorecedor de Síndrome da Morte Súbita do Lactente estão relacionadas com um sono mais profundo e um aumento do limiar de despertar (mais acentuada em alguns bebés susceptíveis). O decúbito ventral só deverá ser adoptado por uma prescrição médica!
- Não fumar perto do bebé: lactentes expostos ao fumo durante a gravidez e após o nascimento têm 3 vezes maior risco de sofrer de Síndrome de Morte Súbita.
- A chupeta reduz o risco de morte súbita, mas se o bebé rejeita não force;
- Certificar-se de que o bebé não está demasiado quente. Pode saber se colocar o dorso da sua mão na nuca ou no tronco do bebé e assim avaliar facilmente se ele está muito aquecido.
- O lactente deve dormir numa cama apropriada. Até aos 2 anos o bebé deve dormir numa cama de grades, sobre um colchão firme e bem adaptado ao tamanho da cama ou berço, para que não fique qualquer espaço entre o colchão e as grades. Os pés do bebé devem tocar o fundo da cama, para que não haja risco de escorregar para debaixo dos lençóis;
- Recomenda-se que os pais destapem a cabeça do bebé para dormir, a roupa não deve ultrapassar os ombros e os cobertores não devem ser pesados;
- Não colocar o lactente na sua cama para dormir, durante os primeiros seis meses a cama estar colocada ao lado da cama da mãe e evite adormecer com o bebé no sofá.
- A temperatura do quarto deve ser agradável e não estar muito quente, a temperatura ideal do quarto ronda os 18-21 ºC.
- Amamentar o bebé, pois a incidência da morte no berço parece ser menor entre bebés amamentados ao peito;
- Procurar ajuda imediata do profissional de saúde se o bebé apresentar dificuldade respiratória e se ficar cianosado (arroxeado) durante o sono.
- Realizar todas as consultas periódicas do bebé;
- É importante que a mãe faça o acompanhamento pré-natal, não devendo fumar, usar drogas ou ingerir bebidas alcoólicas durante a gestação.
- Quando está acordado pode ser colocado de barriga para baixo para brincar. Isto fortalece os músculos do pescoço e das costas.
- Ensine o seu bebé a brincar de barriga para baixo e a dormir de barriga para cima.
O Síndrome de Morte Súbita no berço é raro. No entanto, não se deve por isso deixar de se preocupar e nem pôr de lado as medidas de segurança supramencionadas, já que esta situação não está livre de ocorrer e possivelmente estragar os melhores meses da vida de uma família.
Contudo não nos podemos esquecer que a morte súbita e inesperada de um bebé produz enorme dor aos pais e seus familiares. Quando um bebé morre por causa desconhecida, como é o caso da síndrome, essa dor é acompanhada por sentimentos de culpa ou falta de responsabilidade, o que é falso. Estes pais devem ser acompanhados com tratamento psicológico para tentar minimizar a perda de um filho e minimizar assim, o stress derivado da situação.
Enfermeira Cândida Mineiro
Enfermeiro Carlos Pinto

****

5 comentários:

Só sedas disse...

Kiki, a modo de tranquilização rápida, os teus filhos já passaram a idade critica para isso acontecer embora seja normal que estejas assim, o SMS é terrivel.

Kiki disse...

Obrigada querida M! :)

disse...

ja isso me aconteceu tambem!mas se os teus filhos ja sao crescidinhos e portanto ja se viram sozinhos de barriga para baixo ou para cima,conseguem destapar se,o quarto nao esta muito quente(maximo 19°)nao ha razoes para te preocupares muito.va la descança e dorme bem!

Anónimo disse...

tb sofro das mesmas paranoias e ja dei por mim a chorar so de medo ke aconteça algo de mau às minhas filhas pk eu n aguentaria

Su disse...

Como eu te compreendo. Mães.

Beijinho, Su