20/05/2013

Há alturas em que eu quase consigo entender as pessoas que espancam os filhos...

Porque efectivamente é preciso ter um auto-controlo brutal! 
Ando há dois meses em dor... Com dores horrorosas nas articulações. (Nos nós dos dedos, pulsos, joelhos e tornozelos). Tenho dias melhores do que outros. Mas já não sei o que é ter um dia sem dor. Principalmente quando acordo e ao fim do dia. Durante o dia, com a actividade normal do dia as dores ficam quase imperceptíveis...
Conclusão, quando chego a casa, começa o meu tormento. Faço um esforço enorme para concretizar as tarefas normais... Dar-lhes banho, preparar o jantar e arrumar coisas em casa. Fazer coisas como apertar o tubo da pasta de dentes, descascar uma batata ou apertar os botões dos pijamas deles são verdadeiros desafios! 
O tempo que dura a viagem de carro do colégio até casa é o suficiente para o meu corpo arrefecer e chegar a casa com dores. 
A Gigi dorme no carro. Vou primeiro tirar as mochilas e as coisas deles e vou tirar o Vicente da cadeira para depois tirá-la a ela. Ele atira-se para o chão mal sai do carro... A minha cabeça está cansada e as dores começam a apertar. Não consigo fazer muita força e ele está no meio da rua a espernear e a berrar...
Digo-lhe várias vezes para se levantar... A Gigi acaba por acordar mal-humurada e eu tenho mil coisas para carregar e um polvo-ogre a espernear e a guinchar no meio do chão!
Consigo por a Gigi e as coisas dentro do prédio e pego nele que faz peso morto e me dá pontapés e esbraceja enquanto berra! Dou-lhe duas palmadas no rabo!
As minhas mãos e pulsos doem tanto e o esforço que faço para o carregar e às coisas é tal que só me apetece chorar! Não sei se de raiva se de dor... A desgraçada da Gigi acaba por me ajudar a trazer as coisas já que o polvo-ogre não pára de berrar e de espernear ao meu colo enquanto se faz de morto!
Os vizinhos devem achar que eu sou louca... Ou que não sei educar os meus filhos... 
Chego a casa, ponho-o a espernear no quarto de castigo e ele atira com tudo! 
Juro que por momentos a minha vontade foi entrar no quarto e atirá-lo contra a parede! Felizmente não passou de uma fracção de segundos... E por momentos, QUASE consegui perceber porque é que há pessoas que espancam filhos... A linha que separa a sanidade mental da insanidade nas nossas cabeças é tão ténue que é quase perigosa! Nada como deixá-lo sozinho a partir o quarto e ir à varanda respirar e contar até 10 50! E agora vamos mas é ter uma conversinha séria com ele! E pendurá-lo no tecto a seguir...

33 comentários:

Lu Kerr disse...

É tão bom(salvo seja) ler isso. Acabo por perceber que afinal não sou a única. Desde que comecei a ler baby blogs, perguntava me se era a única com filhas tão mexidas. Que fazem birras, disparates, sujam se e outras coisas. Quando a minha mais nova nasceu, acho que essa frase era a que mais repetia,que QUASE conseguia perceber o descontrolo de alguns pais. Enfim, é só para dizer que não és a única. Força!

Dondoca, Fada do Lar e Mãe de Gémeos disse...

O problema é que toda a gente (ou a maioria) tem episódios deste género, mas nunca ninguém os conta! Faz parte do quotidiano de mãe, e de facto ás vezes situações assim levam ao desespero e a fracção de segundo em que se pode perder a cabeça surge! Felizmente temos a capacidade de a deixar simplesmente passar e ir à varanda contar até 50, 60 ou 100!

Só sedas disse...

E já foste ver essas dores. Não é normal Carolina... especialmente se forem generalizadas e se tornarem crónicas (como é o caso). Vai ao médico.

Sofia disse...

Muito normal estes desabafos. Eu às vezes tenho imagens mentais em que as esbofeteio. Depois passam, felizmente!

Quanto às dores, ia já ver isso!

Ana Maldivas disse...

Sinto-me tão bem ao ler este post. Desculpa, mas sinto mesmoo. Para mim, ser mãe às vezes resvala o desumano... e à minha volta só costumo ver mães fascinadas...

Big curves disse...

Consigo perceber o desespero e por isso vai ver essas dores please!

Bi disse...

Tudo perfeitamente normal, com excepção dessas dores! Há foste ao medico? Um grande beijinho e as melhoras! ❤

Anónimo disse...

Como já disseram, tudo normal para uma mae, excepto essas queixas de dor. Não quero assustar, mas se isso a fizer ser rápida a procurar uma opinião prefiro arriscar. Vá ver isso, porque esta descrição e os locais de dores é tudo típico de um processo inflamatório ao nível articular, são dores que doiem quando o corpo "arrefece", como bem descreveu e que passam durante o dia. Há quanto tempo anda com isso? As articulações ficam presas de manhã? Acorda com a dor?
Carolina, deixou-nos preocupada! Vá tratar disso!
O resto é de uma mãe real, como diria a catarina :) Beijinhos e melhoras, Ana

Marisa Luna disse...

Olá!
Como a compreendo!!!
Tem alturas em que desesperamos, mas felizmente temos a capacidade de nos controlar e saber contar até 50, ou melhor, até 100!!
Os miúdos às vezes deixam-nos loucas!!
Beijocas

Rita disse...

Tadinha!!!
Tens de ir ver isso ASAP!
(Ficamos sempre para último plano mas com a saúde não se brinca!)
Quando às birras... às vezes conto até 200 ;) e quando me deito dou conta que sou a maior chata do mundo... que ralhei, ralhei e ralhei!
Enfim... Mil beijos e as melhoras

Mum's the boss disse...

olha outra a dizer o mesmo: tudo normal! Mas as dores...! nao é normal!

Anónimo disse...

Muita gente a esconder e aparentar que está tudo bem e que os filhos são maravilhas do mundo e a verdade é que não são e que todos os pais, as vezes, passamos por situações que nos levam a ter comportamentos inimagináveis... Não falo de espancar mas de ficar irritados! É perfeitamente compreensível a sua atitude. Em quanto as dores, é melhor ver isso, pois, eu sofro de uma doença com as mesmas características desde que tive a mi bebé e eram muitas as vezes que era impossível dar-lhe banho, vesti-la ou simplesmente um colinho pois os meus braços e pulsos não me deixavam. Um beijinho e força!

Slimiteca disse...

Oi Carolina. Leio o teu blog atentamente SEMPRE, e tenho a dizer que este post é maravilhoso. A tua coragem de dizer aquilo que algum dia todas a mães sentem, nem que seja por milésimos de segundo. E realmente tem dias que percebo os pais que espancam os filhos.... Eu amo-os muito,mas tem dias e birras e que no se aguentam. Realmente a melhor solução é deixa-los a espernear, e ir respirar fundo e contar até 1000. E pensar que vai haver mais dias assim... Mas no fundo, tudo faz parte.
Beijinho e obrigada pela coragem! Adorei!!!!

Cristina Santos disse...

Minha Querida:

Como é bom saber que não estou sozinha no mundo...

Também, volta e meia, me dá uma vontade... O meu filho do meio tem umas crises de mau humor... Mas conto até 1000 e penso que ele só quer chamar a atenção, respiro fundo, volto a contar até 1000...

Tem dias que este auto controlo não funciona tão bem, e também me apetece atirar para o chão e fazer-lhe companhia...

Quanto as dores também as tive... eram as articulações inflamadas devido ao esforço... mas passou! Contudo será melhor consultar um médico!

Eu também acho que os vizinhos me acham louca... e bipolar... pois tão depressa danço, canto, brinco como de repente agonio com os meus queridos e doces mafarricos...

Faz tudo parte, principalmente porque temos a consciência de assumir... Parabéns pela coragem de desabafar, porque faz-nos ver a nós Mães normais, que não estamos sozinhas...

Beijinhos

Cristina

Fil disse...

Carolina, a minha filha tem 7 meses e eu já cheguei a dizer em voz alta: "pega nela antes que eu a atire ao chão". Imagino o desespero, só acho que "os que espancam" não o fazem por desespero, fazem porque são doentes (e atenção que sou super a favor de umas boas palmadas!)

Vai ver essas dores. Com a saúde não se brinca! Beijos e as melhoras!

Catarina disse...

Isso é o que se chama ser mãe e, não aquelas supostas mães sorridentes que acham que a maternidade é cor-de-rosa. Quantas vezes não saio para a porta de casa só para não os ouvir berrar, antes que a minha sanidade mental vire insanidade.
Força e cuide de si, beijinhos.

Ondina Teodoro disse...

como compreendo... a minha vai fazer cinco e ainda tens esses comportamentos de fazer perder a cabeça...ás vezes dou por mim a pensar no mesmo..são uns segundos..a linha da sanidade é facilmente quebrável...

tonita ramalho disse...

Como eu a compreendo. Desde os 35 anos que tenho dores 364 dias por ano, devido a um problema degenerativo dos ossos e a hérnias discais. Tenho 62 anos e não tenho crianças pequenas, se Deus quiser ficarei com o meu neto que tem agora 1 mes, quando a mãe fôr trabalhar, mas é diferente do seu caso. Quanto ao desespero das dores, como eu a compreendo. As melhoras beijinhos <3

macaca grava-por-cima disse...

Kiki, ide ver essas dores ASAP! Não deixes isso adiantar! Palavra de quem sabe o que são dores crónicas. Bjs e as melhoras e muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuita calma! :-) qual a mãe que não perde a cabeça? (ok, só a mãe do RUCA, mas essa deve andar a altas doses de Xanax, raios parta a mulher!! :-D)

Jas disse...

Ainda ontem falavamos disso ao jantar! é bem verdade! bjnhs podes continuar =)

Jas disse...

é verdade, tens toda a razão ainda ontem falavamos disso ao jantar com a avó Janita e questionavamo-nos se era normal ou não e que em parte compreendiamos... bjnhs =)

Nikki disse...

Isso só prova que és humana.

Mas porque és somente humana, vai lá fazer o que esta malta já te disse: vai a médico, antes que um dia destes nem forças tenhas para uma palmadita!

;)

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

Um Enorme beijo a todas!!! Obrigada pelo vosso feedback!!! Somos todas humanas. É bom saber isso!!!

Quanto às minhas dores, já andam a ser vigiadas. Já fiz raio x e analises. Estamos em diagnostico. Em principio é reumatismo.

Love u!!!!!! ❤

Insolente disse...

Como eu me revejo nisto!! Eu tive vasculite (inflamação articulações) quando a minha filha tinha 6 meses e não há dor mais desesperante porque nos torna inaptas em coisas simples... porque birras há em todas as casas mas enfrentá-las com dores, ninguém merece!!
No meu caso, a cortisona foi a "salvação"!!
As melhoras!

Dondoca, Fada do Lar e Mãe de Gémeos disse...

Os meus so têm 11 meses, e ainda à bocado me enfureceram e ao lembrar-me de ti, contei até 10 com a cabeça dentro do armário e passou! Como vês, já estas a provocar inspiração por partilhares este pedacinho de ser mãe no blog :) beijinhos!

Ana Lemos disse...

Nem penses que és única...e quem disser o contrário desculpem mas está a mentir... horrível devem ser essas dores que não passam...as melhoras e um grande beijinho

Simplesmente Ana disse...

Ainda ontem escrevi sobre a bela fase que a minha filha (3 anos) está a travessar e como isso me faz sentir uma bela treta de mãe. Enfim.

As melhoras rápidas dessas dores.

Raquel disse...

Ah ah ah. É tão bom saber que não somos as únicas a passar por isto... Não das dores, mas dos filhos transformados em polvo-ogre!! :) Cá no prédio somos uma "catrefada" de famílias normais, em que se ouvem crianças aos berros, pais aos berros, birras, gargalhadas, alegrias e tristezas. Neste mundo da blogosfera achei sempre tudo muito cor-de-rosa e pensava qe afinal a parva era mesmo eu!! E a malta cá do prédio tb n era muito boa da cabeça!! Afinal nao!! E esses pensamentos assolam a cabeça de qualquer um!! Fico contente por ler este teu post!!
Ah, as melhoras para as tuas dores!!
Beijinhos

Sara Florindo disse...

Acabei de ler o post a propósito da perda de seguidores :P
Triste é andarmos iludidos de que só nós passamos por momentos difíceis desses que depois deixam tanta angústia. Não é fácil nem comum admitir esses sentimentos mas ser mãe é mesmo esse turbilhão. Quanto às dores, as melhoras e talvez seja melhor não desvalorizar procurando ajuda médica.

Filipa Cortez Faria disse...

Kiki, acredito que tenha sido preciso coragem para escrever este post!! É N-O-R-M-A-L em determinados momentos as crianças tirarem-nos do sério. Se juntarmos o seu mau-feitio a dias nossos menos bons o resultado pode ser explosivo! Concordo em absoluto que a linha entre o não espancar e espancar é ténue, mas também acredito que os que o fazem não estão bem da cabeça MESMO!
Beijinho e as melhoras * Parabéns!

Marta A M disse...

Inspiraste-me!!!!
http://mybabyblueblogg.blogspot.pt/2013/05/lets-get-real-as-coisas-que-nao-dizemos.html

Anónimo disse...

A minha prima tem isso e chama-se artitereumatoide pode ser que no seu caso não seje mas pela descrição. Tem de fazer uma consulta de reumatologia há um teste simples que deteta logo isso.
Quanto aos putos eu só tenho uma de quase 13m e as vezes sinto-me assim qdo ela decide abrir as cordas vocais do nada berreirooooo total.
Continue com a sinceridade concordo com os comentários de que tudo parece perfeito tudo bem que as pessoas não têm de transparecer o mal mas tb perfeição não existe.

sof* disse...

"A linha que separa a sanidade mental da insanidade nas nossas cabeças é tão ténue que é quase perigosa!"

verdade, verdade, verdade. e depois vem o raio da culpa por nos passarmos mas os testes à nossa resistência são muito duros. coragem! por lá passarei, não tenho dúvidas...

quanto às dores, experimenta uma aspirina própria para as artrites, o meu pai toma pelo menos uma ou duas por dia. quanto mais parado está pior. quanto mais frio está pior.

força!
sofia (carrossel)