12/01/2017

Eles não sabem a sorte que têm!

Uma das grandes diferenças entre a minha geração e a geração seguinte chama-se internet.

Durante a minha adolescência, a internet apareceu na sua forma mais primitiva! Para já, era caríssima! Os pais vedavam o acesso à internet a uma horinha depois do jantar. E o pior é que essa era a hora de maior tráfego, por isso, nunca conseguíamos ligação à primeira! Sim! Nós tínhamos de conseguir ligação! E ouvir aquele barulho irritantíssimo do rooter. E depois rezávamos para a mãe não ter de telefonar a ninguém porque não havia telemóveis e ou funcionava o telefone, ou funcionava a internet!!! 

Depois, não havia grande coisa a fazer lá além de sacar músicas fora da lei (que duravam horas a sacar!) ou fingir que éramos uma loira de seios pujantes para gozar com os nossos amigos no MIRC. 

"Ddtc" e "m/f" eram apenas as primeiras perguntas às quais tínhamos de responder. Foi aqui que surgiu o "lol" no nosso vocabulário.

Mas o que invejo mesmo no facto de terem uma "nova" internet na geração seguinte, é a existência do Google! Hoje em dia, conseguem ouvir a música que querem quando querem. Nós sacávamos músicas em sites piratas e ficávamos horas infindáveis à espera que a música descarregasse. E conseguem também ter acesso às letras das músicas!! Nós não! Tínhamos de ter a cassette pronta para gravar e ouvir o programa de rádio do início ao fim até conseguirmos apanhar a música que queríamos! (E rezar para que o camelo do locutor não debitasse o boletim meteorológico a meio da música)
E para sabermos as letras, tínhamos de a ouvir várias vezes. E púnhamos no pause de 2 em 2 segundos para podermos escrever a letra num papel. (Sim! À mão!) E voltávamos para trás para ter a certeza do que o cantor dizia. Era todo um processo complicadíssimo! E se não tivéssemos um bom nível de inglês, só saía asneira...

Ontem estava no carro com os meus filhos enquanto fazia um zapping pelo rádio. Parei imediatamente assim que ouvi o John Bon Jovi a cantar o Always! Mas não parei simplesmente... Parei com um "Ahhhhhhhh!!!!!!! Não acredito!!!!!"

E lá ia eu feliz a cantar altíssimo com todo o meu fervor romântico à flor da pele e à flor das cordas vocais. (Não queiram saber!) De repente, constatei em estado de choque que não sabia a letra da música. Embora eu achasse que sim! Mas claramente não!

- And iiiiiiiiiiiii will love youuuuuu
Babyyyyyyyy! Always and I'll be there
Forever and a beeeeee
Alwaysssssss
I'll be there till the starannnnssaaajbb
Till the abshfkaaaasaaaaaaa and the sannndaasjtaaan
Satenasendaaa you'll be on my mind!

E pior! Lembrava-me exactamente de como cantava e cantei exactamente igual.

Mas isto piora ainda! Ouvir a minha filha de 8 anos a dizer: "A mãe não sabe a letra pois não?"

Corta tesão! Foi o que foi! 

Vim a correr para casa procurar a letra. E digo-vos que isso estragou a magia toda da letra que fantasiei. Ainda que num inglês arcaico de origem chinesa. 

Olhem, sabem que mais? Vão lá aqui ouvir isto bem alto! Lembrem-se dos linguados que deram ao som disto (que eu saiba a internet ainda não mudou a forma de chafurdar com as línguas uns nos outros) e cantem! Como cantaram sempre, que assim tem muito mais sentimento!!!


7 comentários:

marta disse...

Saudades desses tempos!

tarekita disse...

As paredes do meu quarto forradas com fotos deste senhor....

Rita C´est ma vie disse...

Éramos umas pirosas, essa é que é a verdade!!!!!
Lolol adorei o post! Sempre que introduzo um "nãnãnã" numa música lembro-me sempre de ti e de uma conversa que tivemos há uns anos atrás com o L. e o A. Lembras-te?! Fartaram-se de gozar conosco?!

I* disse...

Lol

Celia Lopes disse...

Chego à conclusão que a nossa geração teve mais sorte do que a seguinte.
Porque dava-nos gozo a descoberta, o esforço para conseguir, as coisas combinadas na escola e ninguém faltava, as horas ao telefone depois da escola, os quase 5 minutos que esperávamos para o computador ligar.
Agora tudo está acessível, não requer esforço, a descoberta não é uma aventura, as mensagens são instantâneas. Está tudo um pouco em modo auto.
Esta geração sente como nós também sentimos. Mas nós sentíamos de maneira diferente, mais apaixonada.

Bela Dina disse...

Eh eh eh brutal!! Lembro-me que só sabia bem as letras qd elas saíam na Bravo. :-P

raquel disse...

Que saudades!!!
As letras das músicas "metade-inglés-metade-inventado"!
Saudades!