04/01/2017

Quando isto der merda, a culpa é tua!!!

Esse filho a quem não obrigaste a pedir desculpa depois de ser malcriado, vai ser o médico que nem vai olhar para mim quando eu for velhinha! 

Esse filho a quem não obrigaste a agradecer um gesto, vai ser o tipo execrável do guichet das finanças quando eu precisar de lá ir! 

Esse filho a quem não ensinaste a cumprimentar as pessoas quando chega, vai ser aquele gajo insuportável que não vai oferecer nem um sorriso aos clientes no balcão da farmácia! 

Esse filho a quem não ensinaste a respeitar os mais velhos, vai ser aquele idiota que não vai dar passagem às velhinhas na fila do supermercado! (Azar o dele que agora paga-se multa!)

Esse filho a quem passaste a vida a elogiar, mesmo quando não mereceu para não ficar traumatizado, vai ser aquele filho-da-mãe que me vai sacar o lugar de estacionamento no shopping! 

Esse filho a quem não obrigaste a insistir quando não conseguia fazer alguma coisa e foste fazer por ele, vai ser aquele banana que não vai saber lidar com a discussão que teve no trabalho com o filho que não foi obrigado a pedir desculpa em criança! 

E assim os teus filhos vão educar os teus netos! E assim os teus netos vão educar os teus bisnetos! 

Mas depois vens dizer que não há esperança na Humanidade! 

Parem de não obrigar as crianças a pedir desculpa, a dizer olá! e obrigado! Parem de não deixar as crianças desenmerdarem-se com os botões da camisa, o fecho do casaco e os atacadores! Parem de elogiar quando fazem merda! Parem de dizer "a mãe trata!"  

Humildade, generosidade, empatia, perseverança, educação e resiliência são ferramentas adquiridas na infância, não aparecem por magia quando a criança for adulta! 

Se querem mudar o Mundo, comecem dentro da vossa casa. 

76 comentários:

Celia Lopes disse...

Bato palmas!! Um texto perfeito, infelizmente!

Anónimo disse...

Perfeito!! Parabéns :)

Madalena Veloso disse...

Cá por casa há um miúdo com 3 anos que tem tudo isso na ponta da língua, e há quem ache que sou muito exigente com ele!!! "Coitadinho SÓ tem 3 anos, não seja assim!!" What?! Quero contribuir para uma sociedade de ponta e não para um sociedade repugnante!! Subscrevo completamente todas as suas palavras!!

nós disse...

Obrigada, o sentimento é este mesmo!

ana disse...

Parabéns... Obrigada todos os dias pôs textos e por ser assim...

Anónimo disse...

Perfeito!!! Aplauso de pé

Anónimo disse...

Muito bom. Tudo verdade.👌

Anónimo disse...

Sou rigorosa na educação do meu filho. Quem não gosta coloca na beira do prato. No que depender de mim será um grande ser humano. Educação SIM mimo e reformas de vidro NAO

Anónimo disse...

Eu faço tudo isso, a minha Filha é super educada e delicada, mas acho que se sente um alien. Já chegou a chamar me a atenção pq pedi um café sem olhar para a senhora, eu naturalmente corrigi e agradececi a chamada de atenção.

Anónimo disse...

Adoraria dar a ler este texto as minhas clientes que levam os filhos às compras e os deixam destruir me a loja e dizem :"deixa estar,a menina arruma"

Anónimo disse...

A minha filha tem 2 anos, já pede desculpa e diz obrigado... E quando não quer fazer ou dizer essas xoisas (sim isso também acontece) tem o seu castigo que passa por ficar sentada.na manta até decidir pedir desculpa..
Boa.educaçao e humanismo acima de tudo...

Anónimo disse...

Parabéns!
No fundo resume-se a respeitar para ser respeitado.
Tão simples e tão esquecido!

Ana Nascimento disse...

O meu tem 2 anos e meio e não preciso obrigar ou ser rigorosa.. basta dar o exemplo. Se só vir pessoas a serem educadas, a dizerem obrigada e por favor, a terem consideração pelos outros e nao pensarem só em si, a respeitarem o que é dos outros ainda mais do que o que é nosso.. não é preciso castigos, nem ser rigorosa. Fazem isso tudo com um sorriso, naturalmente. Pelo menos tem sido a minha experiencia.. por onde passa toda a gente fica bem disposta porque ele cumprimenta, interage, é um miúdo super querido e sociável. Gostei de ler este texto. Para mim tudo isto é tão natural que fico quase chocada e incrédula de que não seja assim em todas as casas e famílias..

Anónimo disse...

Bom dia
Eu tenho neto com 2 anos que faz isso tudo.
Felismente foi assim que o meu filho e a minha nora foram ensinados e tem passado os valores que aprenderam.
Pede por favor, diz obrigado, quando chega cumprimenta csda pessoa per si e quando vai embora faz o mesmo!!!!
Obrigado Rui e Andreia pot ser os pais wue são.
No entanto tenho outro neto com 11 anos que nao faz nada disso. Tem de ser estimulado para fazer, e educado porta se bem, mas falta lhe essas pewuenas coisas. O meu filho mais velho teve os mesmos valores que o mais novo...
Mas para educar tem de ser 2 a puxar para o mesmo lado e sem interferências de terceiros.
Quando não gosta de qualquer comida, especialmente se tem legumes, prepara se salchichas....
Enfim
A sopa só a pouco tempo conseguimos que comesse, e por si fora.
Obrigado por poder desabafar

M disse...

É que estava a pensar nisto mesmo! É dar o exemplo e relembrar quando "se esquecem"...

Anónimo disse...

Também bato palmas, mas.......vivemos em sociedade. Pergunto se nunca estaciona naquele lugar proibido, porque é só um bocadinho. ....se nunca passa a fila de trânsito interminável porque está atrasada e vai haver uma alma caridosa que me deixa entrar, se nunca se enganou no IRS a seu favor, se acha que não paga um CD porque é muito caro e tenho ali na Internet gratuitamente, se acha que a SporTv é muito cara e posso ver o meu clube favorito no pc ou em alguma coisa que mo permita gratuitamente, etc, etc,etc.....
Lembre-se...... é bonito....mas não é para todos

Anónimo disse...

Interessante texto, típico "faz como eu digo".
Então e todos os adultos que são desagradáveis, que não pedem desculpa, que não se preocupam e que foram criados a pedir "se faz favor" e a dizer "obrigado"? E hoje não o fazem. A minha geracao, que nao tem paciencia para as criancas, que grita ao volante, que nao pede "com licenca", que foi educada a pedir desculpa e a pedir por favor. Vejam a geracao de 90 como exemplo de uma geracao bem educada, mas extremamente individualista. O que é mais importante, a forma ou o conteúdo?
Eu acredito mais em fazer para mostrar como se faz. Não faças como eu digo, faz como eu faço. A culpa de as criancas serem "mal-educadas" nao é das criancas nao saberem dizer "obrigado" ou "desculpa". É dos pais nao saberem dizer aos filhos "obrigado" e "desculpa". Especialmente "desculpa".
Para se ensinar uma crianca a mostrar respeito pelos mais velhos, tem que os pais respeitar os mais velhos.
Gostava mais que no texto estivesse escrito "pede desculpa ao teu filho quando errares, o teu filho vai aprender a pedir desculpa. Pede "por favor" e o teu filho vai dizer "por favor", mostra ao teu filho que tu te preocupas e o teu filho vai mostrar empatia pelos outros. Os filhos não fazem como nos dizemos, fazem como nos fazemos.
Os grandes problemas que afectam o mundo hoje somos nós adultos que os criamos. A culpa dos problemas futuros não será certamente culpa dos nossos filhos, mas dos adultos de hoje, que nao sabem dar o exemplo.
Mas concordo sim, que humildade, generosidade...." nao aparecem sozinha. Somos nós que temos que mostrar como se faz, a fazermos nós próprios.
Se querem mudar o mundo, comecem dentro de vós próprios. Eu sou a minha casa.

Anónimo disse...

Concordo plenamente a educação é a base da família

Anónimo disse...

Concordo plenamente, sempre "eduquei" as crianças com quem trabalhei dessa forma. Agora que sou mãe, peço por favor e digo obrigada ao meu filho e exijo o mesmo. Com 2 anos diz quase sempre obrigado de livre vontade, o Por favor está mais difícil de automizar, mas chegamos lá.

O não é fundamental numa criança, as regras são muito importantes para que eles se sintam protegidos.

O colo e o mimo nunca devem faltar mas sempre de mãos dadas com uma educação consciente.

A escola ensina e os pais educam, por isso são "encarregados de educação".

Parabéns pelo post!!!

Bailarina disse...

Tenho muito medo de criar um adulto horrível, como tantos que encontro! Eu encontro n vezes pessoas que nem bom dia nem boa tarde, que são mal educados todos os dias, que mal tratam os outros!

Temo criar um ser igual e luto com isso todos os dias!

Ana Sofia Martins disse...

Duvido deste tipo de educação que tem por base a obrigação...e tanta raiva!

André Marques disse...

Depois desta peça todos dão a maior educação aos filhos ... enfim, hipocrisia ou dor de consciência?!

Unknown disse...

Não, nunca fiz isso. Tirando a visualização do jogo pela net, acho tudo o resto um chicoespertismo que abomino.

Anónimo disse...

Eu não faço nada disso que referiu e vivo em sociedade e é precisamente por isso que tenho esta postura e não o contrário. Com excepção da visualização do jogo pela net acho tudo o resto um chicoespertismo que abomino.

Susana Niza disse...

Desejo que esta mensagem chegue ao destino. Parabéns!! Ficou tudo dito, subscrevo.

Anónimo disse...

Em geral, acho os portugueses bem educados. Há exceções, como em todo o lado, claro, mas não são a regra. As questões que aponta são muito mais resultado de individualismo/egoísmo do que de falta de educação em criança. Nos dias de hoje, olhamos pouco para os outros, para as suas necessidades, de tal forma estamos centrados no ritmo alucinante das nossas vidas, no prazos, nos horários, nos telemóveis... já dei por mim a pensar "Eh pá, atendi o telefone e nem agradeci o café!". Ou seja, claro que precisamos de boa educação, mas também precisamos de mais tempo para nós e para os outros.
Ana

Paula Nogueira Guerra disse...

Excelente parabens!

Anónimo disse...

Eu tenho 2 rapazes, um de 20 e outro de 16. Durante anos fui acusada e ser muito dura com os meus filhos. A minhas amigas sempre disseram que eu era uma pessoa seca e que exigia muito deles. Elas sim...elas é que amavam as sua crias. Como boas mães, a culpa nunca era dos filho/as, mesmo quando faziam merda, era necessário falar com as criança, explicar e nunca castigar. Se faziam birras não se repreendia, se eram mal educados é porque tinham a personalidade forte.
Ao fim destes anos todos vejo naquilo que as "criancinhas" se transformaram... Uns insatisfeitos, invejosos, inconvenientes e mal criados.
Olho para os meus, mesmo com os seus ataques de estupidez natural da idade, vejo dois putos educados, ajudam alguém que precisa, pedem desculpa e agradecem.
No entanto ao fim destes anos todos, e perante estas evidencias, ainda continuam a dizer que elas é que foram umas super mães e que eu no sitio do coração tenho uma pedra.

Parabéns pelo texto.

Carla

Anónimo disse...

partilhar e desejar que chegue ao destino :)



Mariana Videira disse...

Tão bem dito! Não tenho filhos, ainda, mas será certamente com base nestas ideias que os irei educar.

Anónimo disse...

Parabéns pelo texto, mas ainda existem muitos pais que têm filhos que só fazem me@# e depois ainda têm a lata de dizer :"Quem? O meu filho fez isso? Impossível. O meu filho é muuito bem educado e delicado"

Bruxa Mimi disse...

São suas amigas ou suas "amigas"? Pela descrição não são verdadeiras amigas, nem a Carla é delas.

Anónimo disse...

Estão e ver o jogo não é chicoespertismo? Hahaha!! Abominamos as atitudes nos outros mas desculpamos as nossas? ☺ Ninguém é perfeito e todos erramos aqui ou ali. Importa é tentar corrigir

Anónimo disse...

Muito simples e conciso. Nada a acrescentar. É isso mesmo. No meu caso que sou mãe e professora, debato-me com muitas dessas situações no dia a dia. Se é difícil educar os nossos filhos, pior é ainda tentar educar os filhos dos outros. Esses são os "filhos" que aprendemos a amar e que levam a nossa consciência a agir. Nem sempre somos bem compreendidos..enfim...obrigada pela partilha.

sonia disse...

O que lhes ensinares com o exemplo ficará, se o ensinares como obrigação não. O respeito pelo outros não se obriga.

Anónimo disse...

Querida Bruxa MIMI, e as suas "amigas" ou amigas concordam sempre consigo? Todas as atitudes que faz e tudo que diz elas concordam consigo? E tudo que faz e diz elas aplaudem? Quando vê alguma coisa que não gosta, só para dizer que tem "amigas" ou amigas, aceita? Parabéns tem umas ricas "amigas" ou amigas.
As minhas sabem a minha posição, e se lhes perguntar elas sabem muito bem o que eu acho a respeito da situação.

Carla

Anónimo disse...

Como mãe de dois meninos com 5 anos, já me questionei diversas vezes se estarei a proceder da forma correcta ao fazer o que está mencionado no texto... Isto, porque dou por mim a insistir bastante no assunto, mas se o faço é apenas porque tenho consciência que isto os ajudará futuramente.
Cristina

Ligia Gonçalves disse...

E quando se tem um filho que faz tudo isto, desde pedir por favor, desculpa, obrigado. Ser o mais belo dos seres humanos. O filho perfeito, educado, generoso, meigo. Que prefere sofrer sozinho para não magoar os outros. E acaba com um final mais triste de todos...
Que se lixe a boa educação, felizes daqueles que são rebeldes, e dão dores de cabeça aos pais. Felizes daqueles que se afirmam sem se importarem o que os outros pensam...
felizes daqueles que são felizes...


younique disse...

As palavras só fazem sentido quando são sentidas.

Muitas vezes os pais que obrigam os filhos a pedirem desculpa, obrigado, se faz favor e bom dia são aqueles que só pedem desculpa, dizem obrigada e se faz favor e bom dia quando lhes apetece e nem sempre.
"Humildade, generosidade, empatia, perseverança, educação e resiliência" adquire-se com o amor, conexão, reconhecimento e respeito por parte dos adultos em relação às crianças ( e todas as pessoas).
Por isso, pede desculpa do coração ao teu filho quando és injusto com ele! agradece a presença do teu filho na tua vida olhos nos olhos e com um abraço sempre, diz se faz favor quando pedes algo ao teu filho e nunca te esqueças de dizer "bom dia!" com um sorriso nos lábios quando o vês pela primeira vez todas as manhãs.
O exemplo vivido de coração aberto e com amor é a melhor educação que se pode dar a uma criança.

Sofia Ramos disse...

Muito bem dito !!
Há tempos viajei de avião e atrás de mim ia um rapazito com a mãe. O miúdo aos pontapés com o meu assento e a mãe ria. Às tantas eu é que tive de o mandar parar. Ainda não sou mãe, mas consigo ver a educação dos filhos dos outros através dos seus comportamentos, no entanto só observo e penso para os meus botões.

Ania Araujo disse...

Esse filho a quem obrigas a fazer algo que ele não sente como válido vai ser aquele que vai obrigar a namorada a vestir se como ele quer e a nao respeitar a vontade dela.
Aquele filho que vais obrigar a algo qe não se sente preparado para fazer vai ser aquele que um dia te vai obrigar a ti a deixares de lIgor e a obrigar que não te metas na vida dele.
Talvez explicar respeitar e reproduzir como exemplo seja mais eficaz.!!!!
Sexo obrigado é violação.
Confissão obrigada é tortura.
Educação por obrigação é ditadura.
Que texto mais triste...

Bruxa Mimi disse...

Cara Carla,
Não, felizmente as minhas amigas não concordam em tudo comigo, nem eu com elas. Cada uma pensa pela sua cabeça. O que me fez questionar a amizade (e peço desculpa porque mais valia não ter questionado, já que não me diz respeito) não foi o terem opções diferentes na educação dos filhos, foi sobretudo a última frase: "No entanto ao fim destes anos todos, e perante estas evidencias, ainda continuam a dizer que elas é que foram umas super mães e que eu no sitio do coração tenho uma pedra.". Esse tipo de afirmação da parte das suas amigas parece traduzir um sentimento de superioridade que, do meu ponto de vista, não se coaduna com o sentimento de amizade.

Artur Lopes disse...

Mau maria! Queres pimenta p'rá lingua!? De resto... é isso. :)

Anónimo disse...

Quando eduquei os meus filhos as minhas colegas criticavam me por eu ser "tão rigorosa hoje em dia pensam duas vezes criei com muito orgulho dois homens bem educados.Ainda existem felizmente pessoas de bom senso.

Maria Teresa Teixeira Pinto disse...

Abençoada mãe, aquela que educa os filhos com valores e educação. às vezes, eles perdem-se pelo caminho, apesar de todos os ensinamentos mas, acredito, que alguma coisa lhes fica de tudo o que aprenderam... o que quero dizer é que, nem sempre, depende só de nós...existem muitos fatores que não controlamos. Porém é muito gratificante quando conseguimos!

TanyaFerrony disse...

Boa anónimo. Tenho dois filhos aos quais peço desculpa, aos quais digo por favor e obrigada. Peço-lhes para me olharem nos olhos quando falo com tal como faço com eles. Mas tb eles têm os seus dias e esquecem-se de dizer certas palavras...mas faço por lhes dar o exemplo, todos os dias! De como ser um ser humano que se importa e respeita os outros. Mais do que apenas dizer palavras.

Anónimo disse...

Enfim... Tenho as minhas dúvidas quanto ao grande ser humano que será quando, em criança, não recebeu mimo... Que pena tenho destas crianças. Há espaço para tudo, minha senhora. A isso se chama equilíbrio! E é isso que falta. Equilíbrio.

Guida Simões disse...

Subscrevo na integra!
A melhor forma de amar um filho é dizer não quando tem de ser e obriga-lo a desemerdar-se sim com os atacadores, é sem duvida alguma obrigá-lo a dizer bom dia, obrigado e desculpa entre outras coisas tão simples como estas e que um dia farão deles grandes homens e grandes mulheres

Lauretta M disse...

O pior é que os pais conseguem ser piores que os filhos. As crianças vivem dos exemplos que os adultos lhes dão.

Anónimo disse...

A sério? Castiga a sua filha de DOIS anos quando ela se recusa a dizer "obrigada" ou a pedir desculpa? Onde é que está o humanismo nessa sua atitude? Já pensou que a sua filha de DOIS anos não tem maturidade, nem para perceber porque deve pedir desculpa/agradecer, nem porque fica de castigo? Enfim...
Uma coisa é ensinar a agradecer/cumprimentar/ desculpar-se, quer pela insistência diária, quer pelo exemplo (que vem, sobretudo, dos que com ela convivem), outra é castigá-la quando ela nem capacidades cognitivas tem para entender a importância do acto e muito o menos o castigo que lhe é aplicado.
Como dizia alguém ali em cima, é preciso equilíbrio.

Patrícia

Anónimo disse...

Aqui e que esta a diferenca quando se trata de educar a outra metade nao tem que inteferir

isto e educar

Anónimo disse...

NUNCA obriguei, que até acho uma palavra feia, e a minha filha de 5 anos faz tudo isto que aprendeu pelo exemplo. E por ser criança por vezes pode distraidamente não o fazer e eu amorosamente ajudo a que o faça com o dito exemplo. E mimo tem às carradas ☺ e é uma criança educada, amorosa e amiga.

Maria Teixeira disse...

" a primeira coisa a se fazer se quiser criar filhos agradáveis, é conversar com eles como pessoas que são, em vez de conversar com eles como se fossem sua propriedade" Frank Zappa

Não parece nada, a julgar pelo post e pela escolha de termos, uma casa onde se fala baixinho...

Anónimo disse...

Educar nao e tarefa facil nao pode um educar e o outro desfazer
Isto quando nao ha isajeros. Por outro lado quantas vezes se educam os filhos da mesma maneira e uns sao mais e menos educados. Ate dizemos nem parecem irmaos.

Anónimo disse...

Já disse isto muitas vezes: demonstro mais que amo a minha filha a dizer não do que fazendo as suas vontades todas... E era bem mais fácil dizer sempre que sim...

Anónimo disse...

Educação serve-se todos os dias a todas as refeições,mas nem todos gostam da mesma comida.

Anónimo disse...

Concordo em número, género e grau.
Cheguei a este texto através de uma partilha no Facebook como sendo um texto brilhante. A meu ver, enquanto mãe de 3 e mãe quase há duas décadas, de brilhante este texto nada tem.

Luis Cunha Ribeiro disse...

Bom dia, Vi este texto a partir de dois shares de amigos no facebook. E não posso de deixar a minha opinião e aqui deixo o comentário que lhe deixei a eles.
Quando li esta peça pensei que tivesse sido escrita por alguém que não tem filhos ou por alguém que não tivesse contacto algum com crianças. Percebi que não. Não quero entrar em discussões, simplesmente são opiniões. Acho que as coisas não são tão simples assim, ainda para mais tratando-se de crianças. É certo que a personalidade se consolida até aos 6 anos, mais coisa menos coisa, mas é certo que as crianças não têm todas o mesmo ritmo, nem são todas “despachadas” e com isto não quero dizer que as despachadas e as simpáticas são melhores e muito menos mais educadas que as outras, são crianças e estão a crescer e estão a desenvolver-se e sim há muitas crianças que necessitam mesmo de ser motivadas para não ficarem “traumatizadas”, como diz o texto. Há crianças que pelo simples facto de terem irmãos mais novos a quem toda a gente dá atenção se sentem desvalorizadas, há crianças que por serem mais novos e estarem a ser sempre “mandados abaixo” pelos irmãos mais velhos se sentem na merda e não se conseguem “desenmerdar”, há crianças que pelo simples facto de serem bilingues demoram muito mais tempo a dizerem o obrigado ou o adeus ou o olá e simplesmente viram a cara e não não estão a ser malcriadas, há o mutismo selectivo que pode trazer consequências gravíssimas no futuro e não não estão a ser malcriadas estão pelo contrário a sofrer muitíssimo... Acho um texto muito leviano tendo em conta o tema. Com isto não quero que pense que eu penso que as crianças devem ser apaparicadas, não , temos é de entender as necessidades de cada uma e estar presentes e não funcionar como na nossa geração em que possivelmente o que tínhamos era medo e não respeito onde o gap entres pais e filhos era gigante. Não vou dizer mais nada, desejos de um 2017 em grande

Anónimo disse...

Já agora ponha-o no colégio militar...

Dalila Reais disse...

Perfeito!!!

sonia disse...

Hoje li este post.... Que é manso no tom nas palavras, sugiro leitura http://bebelogia.blogs.sapo.pt/quando-isto-der-certo-a-culpa-e-tua-12022

Anónimo disse...

Depois de ler os comentários, pergunto porque existe tanta má educação, e falta de respeito?

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

Gostaria de agradecer a todos os comentários que fizeram! Aos que concordam e aos que não concordam! A partilha de opiniões é sempre construtiva.
Gostaria também de lamentar as pessoas que não sabem interpretar texto é que fizeram tanto alarido com a expressão "obrigar" como se essa implicasse uma vara no rabo das crianças!
E não posso deixar de achar graça aos que se insurgiram contra o tom do post mas comentaram de forma tão arreliada. Claramente não aprenderam a ter respeito pelas opiniões opostas em crianças.

Bem hajam e felicidades!

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

Olá Luis! Sou amiga da L e vi a sua resposta. Queria apenas agradecer a discordância de forma civilizada e educada. Um beijinho :)

Teresa Cerqueira disse...

Hoje mais do que nunca, acredito no poder das palavras mágicas e ao que tudo indica estamos a criar uma sociedade de '' ele/a é mesmo assim!!!
Palavras mágicas que devemos apreender com os pais: Desculpa, Por Favor e Obrigada. E emprega-las pela vida a dentro.

Anónimo disse...

Medo!

Anónimo disse...

Completamente de acordo...

Anónimo disse...

Só com atitudes boas, podemos merecer uma sociedade feliz. Subscrevo plenamente este texto. Os nossos filhos são o espelho dos pais. (generosos e educados ou monstrinhos) bjs

Anónimo disse...

com tudo que li tento compreender a lição dos meninos serem ensinados, a estou completamente de acordo mas, mas ainda á muita gente adulta que devia de aprender com os mais novos a dizerem (DESCULPE, OBRIGADA,POR FAVOR, porque sempre há muita gente ainda que não sabe estas palavras mágicas estou a 1000ou mais de acordo.

Anónimo disse...

Acho lamentável quando, para muitas pessoas, a educação das crianças resume-se a dizerem "obrigado/a" ou "por favor"!
Generosidade, honestidade, tolerância, amor e afins, são valores que não são o resultado deste tipo de adestramento inflexível.
Educar uma criança passa muito pelo exemplo que os pais dão. E ISTO é o factor mais importante enquanto as crianças crescem!

Brigida Rocha Brito disse...

Nem mais!Excelente análise e magnífica tradução por palavras. Parabéns!

Amândio Soares disse...

Totalmente de acordo! A Educação começa em casa, no conceito da família que "infelizmente" com o decorrer do tempo vai desaparecendo por culpa dos Educadores, sejam Pais/Avós ou outros...Parabéns pelo texto...haja mais educação nas crianças e jovens adolescentes e... já agora...também em muitos...Adultos...

Anónimo disse...

Ahaha Disciplina e rigor educativo!! Faz-me rolar pelo chão a rir.. E que tal, se em vez de obrigar... Ensinar a criança a pensar...? Não acha melhor? Ou quer mudar o mundo para que todos sejam obrigados e castigados?? Em vez de conscientes? E capazes de pensarem por eles próprios? Para além disso espero que os meus filhos não se dediquem nem á industria Farmacêutica, Financeira, e que não façam compras em nefastos 'shoppings', mas que saibam cultivar os seus próprios alimentos e inteligências (entenda-se emocional e psicológica). Esses padrões que menciona são muuuuito sec. XX... Keep up with the program. Novos paradigmas para uma nova civilização. Cresçamos juntos :) só porque foi assim que os seus pais o fizeram, não tem porque o perpetuar
..

Anónimo disse...

Exatamente! É aos nossos filhos que temos de pedir desculpa e dizer por favor e obrigado. Acho piada dizerem q castigam crianças c 2 e 3 anos por nao o dizerem. Certamente no futuro será uma criança exigente que vai querer forçar outros a praticar qualquer coisa. Talvez pq os pais castigaram em vez de lhe pedir por favor para nao repetir tal asneira ou ensinar que o que fez foi errado e tem q pedir desculpa. Eu esqueço muitas vezes das palavras quando falo c o meu filho e ele tambem. O q nao significa q tenhamos q ser os dois castigados.

Anónimo disse...

O rigor e disciplina não tiram o lugar a aprender a pensar. Não precisa rebolar pelo chão... os seus filhos vão dedicar.se ao que quiserem (e puderem!) Se as crianças não aprederem a respeitar a disciplina em crianças, irão aprender com um juiz, num qualquer tribunal...

Mónica Meneses disse...

Excelente texto! Concordo com quase tudo o que foi escrito. Mas tenho algumas ressalvas! Sou mãe,filha e cidadã. Tenho uma filha de 5 anos a quem tento passar os melhores valores (para mim). Faço o melhor que posso e sei! No entanto ela não é perfeita nem fácil,mas eu não me sinto culpada por tudo o que de errado ela faz tal como não considero tudo o que de certo faz mérito meu! Sou filha de uma grande mulher que errou,mas que fez (com certeza) o melhor que podia e sabia! Não a culpo por nada que eu tenha feito de errado nos meus 32 anos de vida! Devo-lhe muito e orgulho-me muito dela,mas não a culpa de nada! E sou cidadã que vê e ouve muito dos filhos e dos pais. Tento não julgar! Mas às vezes não consigo! No entanto não culpo os pais daqueles cidadaos menos correctos (aqueles que se referia no texto) tal como não dou todos os louros aos pais dos cidadãos mais correctos.
É a minha opinião pessoal. No entanto volto a dizer que o texto está excelente e muito real. Mas no meu ver não podemos meter tudo no mesmo saquinho!
Beijos e abraços... Sejam felizes fazendo o melhor que sabem,podem e conseguem! ;-)