06/02/2013

A Mistagogia da vida

Hoje passei a tarde numa formação para aprender a trabalhar a Quaresma com crianças pequenas. De facto não é um tema fácil, muitas vezes nem para adultos quanto mais para crianças.
O Padre que coordenou a primeira parte era fantástico e muito divertido. E falou em coisas mesmo importantes sobre a forma como levamos a nossa vida.
Comecemos por entender o que é uma celebração e porque as fazemos. Uma celebração serve para vivermos mais profundamente determinado acontecimento da nossa vida. Seja ele passado ou não. E passa por três fases. 
A antecipação que engloba tudo quanto está inerente ao antes. A preparação para a celebração é importante para a vivência da mesma. Seja um nascimento em que uma mãe se prepara durante 9 meses para celebrar o nascimento do filho, seja um casamento em que os noivos se preparam para o grande dia e tratam de tudo para que o dia seja perfeito, seja para um aniversário em que preparamos uma boa refeição para partilhar com os amigos.
A celebração em si em que vivemos tudo aquilo por que esperámos e por fim a Mistagogia. E esta é ainda mais importante do que a própria celebração. Ou seja, é quando vivemos e saboreamos aquilo que foi celebrado. E a importância e profundidade da celebração, não está na vivência do grande dia, mas sim na forma como vivemos o acontecimento depois dele acontecer. E aí é que está a essência de tudo! A nossa sociedade vive a tal velocidade, e de tal forma descartável, que se preocupa demasiado com as celebrações e esquece-se da importância e do significado das mesmas! Esquece-se de viver as celebrações no dia-a-dia. E é no depois, na fase da Mistagogia que pomos à prova a verdadeira importância da celebração. 
Como dizia o Padre, coitados dos noivos que acham o dia do casamento, o dia mais feliz da vida deles! O que é que eles vão fazer ao resto da vida que ainda lhes falta viver?...
Vale a pena pensar nisto, não vale?

****

4 comentários:

Dondoca, Fada do Lar e Mãe de Gémeos disse...

Gosto muito!

anitadetulp disse...

Muito Bom!

Roxy Girl disse...

Adorei!
Esse Padre é de que paróquia? Será que ele também participa/dá CPM?
Mistagogia, nunca tinha ouvido tal palavra mas faz todo o sentido.
Kiki, obrigada pela partilha ( a ver se não me esqueço, para não me armar em Bridezilla!)

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

Roxy, também nunca tinha ouvido esta palavra! E é tão importante!!!
Não faço ideia de que paróquia será. Ele foi convidado para a formação que fiz.
Mas se quiser uma sugestão para o CPM, veja no CUPAV . São fantásticos!!!!! Eu AMEI! São organizados por Jesuítas e dados por casais e não por padres e isso faz toda a diferença! O meu marido que nem é católico e foi contrariado, adorou o CPM deles. :) Atenção que é preciso marcar com muitaaaaaaa antecedência!!!
Beijinhos