31/05/2012

Problemas sem solução...

Estacionei o carro em frente à estação de Santa Apolónia enquanto esperava uma pessoa. O telefone tocou e eu fiquei mais tempo dentro do carro a falar.
Vem o técnico-de-arrumação-automóvel bater-me à janela:
- Ó senhora! É só para falar ao telemóvel? Para isso podia estacionar em segunda fila que eu tenho aqui mais "clientes" para estacionar? - clientes é lindo!
- Como??? Acha mesmo que eu tenho de lhe dar satisfações do tempo que vou estar parada e se vou estar ao telefone?
- Ó senhora, vá lá! Eu estou a trabalhar!
hahahahahahaah Só podia ser para rir! O bêbado-toxicodependentezinho-parasita-da-sociedade estava a trabalhar! Imagine-se! A ameaçar os condutores que não lhe davam moeda (como foi o meu caso), a beber da garrafa de litro de cerveja que tinha na mão, com um cigarrinho Marlboro pendurado no canto da boca estava a trabalhar! 
Por acaso estava a contribuir para o desenvolvimento de algum tipo de indústria? Por acaso estava a contribuir para o crescimento do PIB do país que lhe paga o rendimento mínimo e o subsídio de não-faz-um-cú? E se eu precisar de ir ao hospital, por acaso o senhor contribui para pagar o salário do médico que me atende ou para comprar as compressas? É que eu contribuo para o dinheirinho que lhe dão para comprar a dose sabia?
E ele era o dono da "empresa"! Depois havia dois colaboradores!
- Ó Zeca, vai ali áquele que há bocado não deu moeda!
- Ó Tina, vai lá buscar mais uma! (garrafa de cerveja! Que isto hoje está um calor que não se aguenta e os senhores estão a trabalhar debaixo do sol e têm sede...)
A zona de Santa Apolónia e da Estação do Oriente têm todo um conjunto de parasitas que não fazem faltinha nenhuma! E se fossemos a ver bem, ainda se poupavam uns milhares à segurança social ao fim do ano que davam para fazer tanta coisa útil!

**** 

10 comentários:

Marta disse...

Se muitas vezes discordo de si, desta tenho que lhe dizer que assino por baixo. Não podia concordar mais.

Beijinhos,

Marta

Jo disse...

Na mouche!

Gi disse...

Nunca dou moedas. Faço trombas e ameaço com o olhar que, se o meu carro tiver um risco, a vida corre-lhes mal (com violência). Detesto parasitas! E se se tornaram agarrados foi por opção, procurem ajuda, trabalhem nas obras, o que seja, mas não me peçam o dinheiro que sustenta a minha casa!

Bi disse...

Completamente de acordo!É que quando paramos para pensar nisso dá cá um nervoso miudinho...

Anónimo disse...

boa tarde. ultimamente tenho acompanhado o seu blog com muito gosto, quase um vicio...
o seu ultimo comentario deixa-me triste porque apesar de como diz muitos são parasitas,cada vez mais(é melhor habituar-se a isso) as pessoas q estão na rua são pessoas desempregadas q durante anos trabalharam a troco de um salario minimo, contribuiram com os seus impostos, e que agora passam mal porque o sistema os abandonou.
Q tal revoltar-se com outro tipo de parasitas, q estão em gabinetes a não fazer coisa nenhuma(é verdade, eu conheço pessoas assim,ninguem me contou)e q ganhan balurdios.
o senhor q falou consigo não foi mal educado,apenas lhe pediu para esperar nouto lado...

Kiki disse...

Tem toda a razão em relação a esses parasitas que tb gastam o nosso dinheiro e não fazem nenhum!

Mas este senhor não é mendigo de agora... Era um toxicodependente e drogado que se via bem que andava naquilo desde sempre! E quando em ameaçou por eu não lhe dar moeda? E quando disse ao "colega" para ficar de olho em mim? Acha mesmo que não é um parasita dispensável?
Infelizmente o nosso país está a atravessar grandes dificuldades e há pessoas a perder tudo! Mas o carácter não se perde! E as pessoas honestas, serão sempre honestas!

Anónimo disse...

Triste comentário....vê-se logo que tem trabalho, os desempregados são-no porque querem....ao que chegámos! Por isso é que este país não anda para a frente, com o snobismo a alta velocidade dá nisto...

Maria disse...

Leio o seu blogue há algum tempo, e gosto da forma como escreve. Mas hoje deixou-me muito triste e desiludida, os toxicodependentes não são parasitas da sociedade, concordo quando diz que só se mete na droga quem quer, mas despois de entrar nessa vida é muito complicado deixar é quase uma doença dificil de curar. Lembre-se que tem filhos e que não sabe o que o futuro lhes reserva. Desculpe mas hoje tenho que discordar do que escreve, mais a forma como generaliza os toxicodependentes. É doloroso ter alguem muito proximo com este problema, não faz mal a ninguem tem o seu trabalho,e ler o que escreveu

O Sexo e a Idade disse...

Ups! Concordo que não devemos tomar a parte pelo todo mas a grande maioria são mesmo como a Kiki diz.
Quanto a não terem emprego convido-vos a ver este meu post de 17 de Janeiro de 2011 e verificar, no caso, como estava a tentar ser resolvida questão do emprego.
http://erc-osexoeaidade.blogspot.pt/2012/01/candidatura-espontanea.html

Anónimo disse...

Minha querida senhora, a julgar pelo seu palavreado é de certeza filha de boas famílias, e portanto alheia aos problemas de "gente" que não teve à hora do nascimento o que a senhora concerteza teve. Quero que leia e disfrute destas palavras, mas, sobretudo coloque-se no lugar de quem de certeza não tem quem olhà-se melhor por "essa gente".